sábado, 7 de abril de 2018

01/04/2018 - Corrida de Páscoa do Pereba - FLN/SC


Corrida de Páscoa do Pereba - FLN/SC

Resultado
Fotos da Corrida FB (by Eduardo Hanada)

A Corrida de Páscoa do Pereba veio com uma novidade esse ano. Foi a 1ª edição, desde que comecei a participar das provas organizadas pelo amigo Analto Romalino em 2009, a ser realizada em uma manhã de domingo. Tradicionalmente as corridas eram sempre realizadas no período da tarde. Essa alteração foi atendendo a pedidos de vários atletas.

Gostei da ideia do novo horário pela manhã. As ruas estão mais calmas, o organismo está mais acostumado a correr e, depois das 10 horas já estamos livres para aproveitar o restante do dia de domingo, sem se privar de exageros no almoço.

As inscrições para as corridas do Pereba são feitas momentos antes da largada, que acontece na R. Médico Miguel Salles Cavalcanti - Abraão, em frente a padaria Vó Zulma. Não há kit de participação, somente o número do peito. O valor é bem acessível, R$ 20.


Dessa vez eu fui para participar e a Aninha somente para me acompanhar. Fazia um tempinho que não corria essa prova pra valer e queria sentir como estava o meu condicionamento nos altos e baixos desse percurso, que se mantém o mesmo ao longo das suas edições. É legal para fazer comparativos.

Logo começou a movimentação dos atletas e das crianças também, que acordaram cedo para participarem das provas infantis e receberem seus chocolates e medalhas de Páscoa. O amigo James, foi um dos que participou pela 1ª vez, viabilizado pela alteração do horário.

O dia estava bem agradável para correr. Lembro que nas provas à tarde geralmente está bem quente e muitas vezes até chovia. Meu objetivo era tentar melhorar o meu tempo nesse percurso, que tinha sido em 2014, 26min12s. Acho que vai ser difícil bater essa marca.

Fiz um breve aquecimento de 10 min pra não sair tão frio. Às 8h12min foi dada a largada principal, com cerca de 70 atletas. Eu saí empolgado até fazer a primeira curva à esquerda. Nesse ponto a pulseira do meu Garmin se soltou e caiu. Tive que dar meia volta para recuperá-lo. Não perdi muito tempo, mas tive que correr com ele na mão a corrida inteira.

Logo de início apareceu o primeiro dos morros. Nem dá tempo de esquentar direito. Mas na ida até que é tranquilo, pois ainda estamos descansados. Em seguida é compensado pela forte descida. Mesmo tendo que voltar pra pegar o Garmin me surpreendi com o pace do meu 1º km, 4:36 min/km.

No 2º km já pegamos outra subidinha, mas um pouco mais leve, e também consegui melhorar um pouco o pace, 4:31 min/km. Acho que foi por causa do amigo Jabson, que estava correndo ao meu lado e ditando o ritmo mais forte. Ele estava participando sem forçar para não arriscar alguma lesão, uma semana antes da sua participação no Revezamento Volta à Ilha. Por outro lado, eu estava quase morrendo.

Com quase 3 km percorridos fiz o retorno com o tempo de 13min33s. Peguei um copo de água no posto de hidratação, e comecei o caminho de volta, pelo mesmo percurso da ida. O ritmo foi caindo aos poucos, mas seguia na mesma tocada dos outros amigos atletas.

Duro mesmo foi o último dos morros, que aparece depois do 5º km. Várias vezes já caminhei nessa subida final, mas dessa vez desacelerei e subi continuamente, mesmo assim num esforço enorme. Depois de superá-lo foi só dar uma boa esticada na descida para finalmente cruzar a linha de chegada, que contou com a narração do Totó.

Achei que tivesse feito uma prova legal, mas o tempo líquido de 27min58s ficou mais alto do que eu gostaria. Muito longe dos meus bons tempos. Mesmo assim até que na classificação ficou bom. A Aninha estava na chegada dando uma força na entrega das medalhas e fez o registro da minha chegada.

Precisei de um tempinho pra me recuperar do esforço. Me hidratei com as bebidas que tinham, comi cuca, chupei sacolé e até cafezinho quente aproveitei. Além disso, muitas guloseimas estavam disponíveis para os atletas e crianças. Em seguida fui escolher o meu troféu e a medalha que é tradição nas corridas do Pereba. A minha medalha foi bem especial, um tanto insana !

Aguardamos a premiação naquele clima de confraternização com os amigos. Consegui uma boa colocação na minha categoria de 45-49 anos ficando na 2ª colocação. Tá certo que o Jabson me ajudou correndo somente para me acompanhar. Normalmente ele estaria disputando um saco do Pereba na premiação do pódio geral. Valeu, Jabson.

Logo já estávamos livres e abastecidos com tantas guloseimas ao final da prova. Muito bom esse novo horário, pois depois ficamos com o tempo livre e não precisamos nos controlar na comida na hora do almoço. Espero que continue nesse horário. 


Percurso da Corrida do Pereba - Corrida de Páscoa- FLN/SC
Aguardando a largada
O organizador das Corridas do Pereba, Analto Romalino da Cunha (Pereba)
Chegada. Tempo líquido: 27min58s
(Foto: Ana Paula Marcon)
 Pódio disputado. 2º colocado na categoria 45-49 anos.
Aninha que foi só pra me acompanhar
Fim de prova. Só alegria.
Quem vai chegando escolhe primeiro a medalha e o troféu

Local: R Médico Miguel Salles Cavalcanti - Em frente a Padaria Vó Zulma - Abraão - FLN/SC
Data: 01/04/2018
Horário: 08 h (8:12 Hs)
Distância: 6 Km (5,87 km)

Inscrição: R$ 20,00
Kit: Não tem. Somente o número de peito

Tempo: 27min58s
Pace: 4:48 min/Km
Tênis: Skechers Go Meb Speed 3

Colocação: 02 de 07 (45-49 anos)
Colocação: 20 de 53 (masculino)
Colocação: 20 de 66 (geral)

terça-feira, 3 de abril de 2018

25/03/2018 - Corrida Pedra Branca 2018 - Palhoça/SC

Foto: José Carlos Terres
Corrida Pedra Branca 2018 - Palhoça / SC

Resultado
Fotos da Corrida FB (by Eduardo Hanada)
Fotos da Corrida FB (by José Carlos Terres)

Essa é uma daquelas provas que gosto de fazer pra testar a velocidade e ver o quanto consigo percorrer no tempo de 12 min do teste de Cooper. Por isso nas últimas edições sempre opto pela distância de 3 km, ao invés das de 6 km ou 12 km. É aquela corrida com o pé embaixo e a língua pra fora o percurso todo.

A Corrida Pedra Branca, organizada pela Sports Do tem a largada e chegada na Praça do Passeio Pedra Branca, e percorre um bom trecho contornando a Cidade Universitária Pedra Branca. Uma volta completa tem aproximadamente 3 km. O percurso não todo plano e tem umas subidas pesadinhas logo ao final do 1º km, mas depois tem a compensação, com uma forte descida.

O local da entrega do kit mudou esse ano. Foi no Edifício Atrium (piso térreo), bem em frente a praça do Passeio. Aconteceu nos dois dias que antecederam a prova. Dessa vez não houve aquela abordagem para a apresentação dos empreendimentos Pedra Branca. Só pude ir com a Aninha na véspera e estava tudo bem tranquilo.


 
Vídeo: José Carlos Terres

Conforme a organização foram cerca de 750 atletas inscritos distribuídos nas três modalidades de distâncias: 3 km, 6 km e 12 km. Uma boa parte dos atletas não gosta de fazer várias voltas (4 voltas no caso dos 12 km) e eu sou um deles. Por isso prefiro correr a de 1 volta mesmo. Nas primeiras edições lembro que havia opções de revezamento, e acho que pra esse tipo de percurso seria interessante retornar também essa modalidade.

A largada estava prevista para às 9 horas. Horário meio tarde para uma corrida de domingo de manhã, mas parece que é por causa das normas do condomínio Pedra Branca. Eu não sabia.

No domingo de manhã eu e a Aninha fomos para o local da prova umas 7h30min. A vantagem da largada ser mais tarde é poder dormir um pouco mais. Porém, no caminho desabou um temporal com algumas ruas ficando até alagadas. Já sabíamos que correríamos sob chuva. Menos mal que deu uma aliviada depois.

Chegando por lá fomos encontrando os vários amigos das corridas que aos poucos iam chegando. Bom que boa parte da estrutura era coberta, inclusive os banheiros, e nos protegia da chuva enquanto aguardávamos.

Como a prova é curta, fiz meu aquecimento pra não sair tão frio, ainda mais que estava chuviscando. Nada muito exagerado. Eu e a Aninha, que também iria fazer a distância de 3 km, nos posicionamos um pouco atrás da linha de frente, pra não perder muito tempo na largada. Foi onde deu pra chegar.

A largada foi única para todas as distâncias  e foi debaixo de chuva mesmo. Eu conhecia bem o percurso e procurei me controlar no 1º km, pois no seu final começaria as subidas, na Av. dos Lagos. Mesmo assim o meu pace ficou em ritmo de tiro 4:06 min/Km. Normalmente eu só consigo manter esse pace correndo apenas por 1 km.

No início do 2º km é o momento de maior esforço e onde minha respiração vai ao limite para tentar vencer os morrinhos. Essa subidas terminam logo após percorrermos cerca de 1,2 km. Depois disso vem uma grande descida de uns 200 m para dar uma aliviada e compensar o ritmo perdido nas subidas. Nem dá pra recuperar o fôlego. E depois o percurso fica praticamente plano.

Garmin - Corrida Pedra Branca 2015 - Palhoça / SC

No trecho plano, sem conseguir manter o ritmo inicial e já desgastado pelo esforço inicial sofri algumas ultrapassagens e passei poucos atletas. A chuva apertou e acho que também dificultou um pouco esse finalzinho. Faltando uns 500 metros para chegar, a vontade era imensa de desacelerar, mas não dá tempo pra isso. Os atletas estão todos muito próximos e não dá pra saber de que distância estão disputando.

Aguentei no meu limite para tentar fazer um bom tempo ainda, e a reta final foi do jeito que deu. Debaixo de muita chuva cruzei o portal de chegada, com a narração do amigo locutor Marcello Goma. O tempo líquido ficou em 12min58s.  Achei meio alto em relação às minhas edições anteriores, mas como teve uma pequena alteração no percurso com uns 200 m a mais (registrado pelo Garmin) até que não foi ruim.

Meu pace médio ficou em 4:09 min/km, o meu melhor até hoje na distância de 3 km. Eu dificilmente consigo fazer esse pace em tiros de 1 km, quem diria sustentá-lo nos 3 km seguidos. Se fosse medir os meus 12 min do teste de Cooper teria percorrido 2,91 km. Nada mal. Acho que até dá pra melhorar em um percurso todo plano, mas ficará para uma próxima.

Cheguei bem exausto e molhado. Como sabia que a Aninha viria em seguida fiquei a sua espera para os devidos registros. E para a minha alegria, após a chegada da 1a. colocada dos 3 km, lá veio ela num belo sprint com a 2ª colocada, cruzando a linha de chegada na 3ª colocação geral dos 3 km e com apenas 1 seg de diferença no tempo bruto. Curioso que no tempo líquido ela foi melhor. Mas na classificação geral vale a ordem de chegada. Fiquei super contente pelo resultado da Aninha diante das 70 atletas femininas.

Descansamos um pouco e aproveitamos bem toda a arena montada para os atletas. Que bom que foi em local coberto. Muitas frutas, biscoito, barrinha de Supino, água, café, isotônico, e a entrega da medalha, que esse ano foi diferente. Na verdade eu só estava querendo mesmo era um bom banho quente depois daquela chuva toda. Também teve disponível aos atletas o serviço de massagem da Elementos Assessoria da nossa amiga Fran.

Como a nossa prova foi rápida ficamos assistindo a dos outros atletas amigos que participavam das demais distâncias (6 km e 12 km). E a chuva não deu trégua. Como eu fiquei agradecido por ter feito a distância menor. O Jabson fez 12 km e também fez um final apertado e disputado.

Ficamos para a premiação, com a Aninha subindo ao pódio na 3ª colocação geral dos 3 km e o amigo Jabson também na 3ª colocação geral dos 12 km. Não teve premiação por categoria de faixa etária. Eu não soube na hora, mas passei raspando do pódio, ficando em 6º lugar nos 3 km masculino e o meu amigo Edson do IFSC em 8º lugar. Lembrei de uma ultrapassagem que sofri na segunda metade da prova.

Apesar da chuva, foi uma corrida muito bem organizada e com excelente estrutura aos atletas. O legal é que tem distância para todos os gostos em um percurso relativamente rápido e bem tranquilo para correr, sem grandes preocupações com passagem de veículos. Agradeço ao amigo Cláudio Rafael e Eliane que deram uma força na viabilização da nossa participação.

Percurso da Corrida da Pedra Branca (3,13 Km cada volta)
Eu e a Aninha na retirada do kit na véspera da prova
Kit da Corrida Pedra Branca 2018
Alguns dos amigos presentes na Corrida Pedra Branca
Iniciando o 3º km e perdendo uma posição importante
Tentando acompanhar o pessoal
Reta final sob chuva com registro do Strava
Chegada com tempo líquido de 12min58s
Aninha no pódio conquistando o 3º lugar geral nos 3 km
 Aninha e Jabson de parabéns pelas conquistas
(Foto: José Carlos Terres)
 Eu e a Aninha com a campeã dos 12 km Susy Lizote
(Foto: José Carlos Terres)
Medalha da Corrida Pedra Branca 2018

Local: Passeio Pedra Branca - Palhoça / SC
Data: 25/03/2018
Horário: 09:00 Hs
Distância: 3 km (3,13 km)

Inscrição: R$ 50,00 (em grupo)
Kit: Camiseta, squeeze, chip descartável, Número de peito

Tempo: 12min58s
Pace: 4:09 min/km
Tênis: Asics Piranha

Colocação: xx de xxx (categoria não teve)
Colocação: 06 de 087 (masculino)
Colocação: 06 de 194 (geral)

quinta-feira, 29 de março de 2018

23/03/2018 - Corrida Chão da Cidade - Floripa 345 anos

Foto: Equipe Confraria das Corridas
Corrida Chão da Cidade - Floripa 345 anos
Não são muitas as provas que podemos fazer em revezamento e ainda mais percorrendo as ruas e calçadões do centro de Florianópolis, onde é tudo muito movimentado durante a semana. Eu e a Aninha nos animamos em formar uma dupla mista por ser uma boa distância pra cada (5 km) e sem necessidade de deslocamento aos postos de troca.

Em uma oportunidade com desconto promocional, fizemos a nossa inscrição aproveitando o primeiro lote ainda. Só não me dei conta que a corrida seria realizada em uma sexta-feira !!! O motivo ?! Seria feriado municipal em Florianópolis, que completaria 345 anos, e essa corrida fazia parte das comemorações de aniversário da cidade. O detalhe é que eu trabalho em São José, município vizinho. Tive que fazer uma adaptações no serviço para não perder o compromisso assumido.

O evento foi uma idealização dos Núcleo de Assessorias Esportivas, associadas a Associação Comercial de Florianópolis /ACIF, em parceria da Prefeitura Municipal de Florianópolis. Por isso contou em sua grande maioria com atletas membros dessas assessorias de corridas.

A entrega do kit foi realizada na loja Capitão Malagueta do Shopping Beira Mar, durante o horário de funcionamento, na quarta e quinta-feira que antecederam a prova. Eu retirei o kit da nossa dupla ainda no primeiro dia. Tudo muito tranquilo. Veio com uma camiseta bem colorida e bonita. Foram cerca de 300 atletas inscritos, segundo a organização.

As opções de participação eram somente com a distância de 10 km, que poderiam ser percorridos individualmente (2 voltas), ou em dupla masculina, feminina ou mista (5 km para cada atleta). A premiação foi somente para os 5 primeiros colocados gerais em todas as modalidades. Não teve premiação por categoria de faixa etária.

Para aproveitar a calmaria no centro durante o feriado municipal a largada foi marcada para às 7 horas da manhã, no Largo da Alfândega. Como estacionar por lá não é tarefa muito fácil fomos cedinho e, por incrível que pareça, conseguimos vaga em frente ao Mercado Municipal. Durante os dias normais é impossível !

Chegamos por lá ainda antes das 6 horas da manhã e aos poucos foram chegando os amigos e conhecidos das corridas. Porém, muito não puderam participar por trabalharem nos municípios vizinhos de Florianópolis.

Com um pequeno atraso (7:12) todos os atletas individuais e os primeiros de cada dupla largaram do Largo da Alfândega no sentido do Terminal 1. A Aninha abriu a nossa participação e lá se foi. Eu fiquei por ali aguardando juntamente com os outros "segundos" atletas das outras duplas.

Minha expectativa era que ela chegasse entre 25 e 28 minutos, uma vez que o percurso não era muito plano e tinha muitas quebradas, o que dificultaria manter um ritmo mais constante.

Enquanto aguardava, o Bom Dia SC da NSC TV, entrou ao vivo no ar, com a repórter Mayara Vieira informando a programação das festividades do aniversário da cidade e mostrando um pouco do ambiente da prova. E eu ali no meu aquecimento, esperando a minha vez para correr.


Acho que para quem fica esperando no revezamento a ansiedade é maior em relação aos que largam primeiro. É aquela expectativa pela chegada da parceira ou parceiro para o recebimento da pulseira e o início da sua prova.

Com pouco mais de 17 minutos os atletas de ponta começaram a completar a 1ª volta. A Aninha correu no seu limite e segundo a minha contagem, me passou a pulseira do revezamento na 5ª colocação entre as duplas mistas. Me animei e que responsabilidade ! Cabia a mim manter essa colocação, que já seria um excelente resultado.

Recebi a pulseira e saí em disparada, consciente de que o percurso tinha alguns trechos pesados de subidas. Só não contava com tantas quebradas entre as ruas. Inicialmente fui no sentido do Terminal 1 abrindo a minha volta. Um pouco mais a frente fiz o retorno, voltei pela Av. Tiradentes até chegar na Praça XV de Novembro, por onde subi pela rua lateral. Como essas ruas eram de paralelepípedos preferi correr sobre as calçadas, onde era possível, pra evitar alguma torção nos pés.

Mais a frente entramos pela Av. Hercílio Luz, completando o 1º km. Me surpreendi com o pace quando olhei o Garmin (4:16 min/km). Sabia que tinha abusado, mas é difícil se conter no início do revezamento. Tive que reduzir  o ritmo, mas sempre controlando pra não ser ultrapassado.

Viramos à esquerda na Rua Emílio Bum, atravessamos a Praça Getúlio Vargas, seguimos reto e passamos pela frente da Catedral Metropolitana de Florianópolis, com pouco mais de 2 km percorridos.
Descemos e viramos à direita na Rua Felipe Schmidt pela qual percorremos cerca de 1,2 km em uma reta até o Parque da Luz. Estava tão concentrado que nem me lembro de ter passado por postos de hidratação, mas sei que teve. Meu esforço era máximo e até aquele momento ninguém havia me ultrapassado. Passei por vários atletas, mas nem via se eram de duplas ou individuais.

Contornamos o Parque da Luz e retornamos pela outra grande reta, pela Rua Conselheiro Mafra, até chegarmos no Mercado Público Municipal. Eram os metros finais. Cruzamos pelo vão central, onde ficam as mesas dos restaurantes. Nesse ponto o meu Garmin registrou os 5 km.

Lá na frente a Aninha me aguardava para cruzarmos juntos a linha de chegada. Eu vinha em modo acelerado para não perder nenhuma posição da dupla e chegamos em um forte sprint, completando os 10 km em 50min30s. Acho que pela primeira vez não sofri ultrapassagem alguma durante uma prova. Tinha mantido pelo menos a nossa colocação.

Me recuperei do esforço final e retirei a medalha mediante a devolução do chip que era retornável. Aproveitei para me hidratar e comer umas frutas e barrinhas de Supino, disponibilizadas pela organização aos atletas ao final da prova.

Ficamos a espera da cerimônia de premiação, e conversando com os amigos que também já tinham concluído. Enquanto aguardávamos tivemos a oportunidade de conhecer pessoalmente a Carolina Sprícigo, jornalista e uma das administradoras do perfil e do canal do Youtube @mulheresnapista, residindo agora em Floripa. Foi um prazer conhecê-la e tenho certeza que nos veremos agora em muitas provas da região.

Após a chegada dos últimos atletas iniciou-se a premiação. A expectativa maior para nós ficou por conta da dupla mista, que foi a última modalidade a ser chamada. Ficamos na 4ª colocação entre as 18 concluintes. Foi a nossa 1ª conquista em dupla mista e acabou sendo melhor que esperávamos. Eu e a Aninha ficamos muito felizes em subir ao pódio nessa prova especial e comemorativa. Recebemos um único troféu, tipo uma almofada, e 2 kits com camiseta e boné da Caixa. Só achei que no caso de duplas poderia ser entregue um troféu para cada atleta. Nem sempre são casais ou representam uma única equipe, e depois fica chato a divisão. A cerimônia não demorou muito, pois não teve premiação nas categorias por faixa etária no individual 10km.

Apesar da data da prova restringir a participação de atletas que não se beneficiaram do feriado municipal de Florianópolis, foi um excelente evento, que abriu o dia de festividades em comemoração ao seu aniversário. Raras são as vezes que podemos correr por esse percurso pelo centro da cidade e pelos seus calçadões. A organização também foi muito boa e acredito que essa prova tem tudo para crescer nas próximas edições.


Percurso solo e das duplas (2 voltas)
 Kit da dupla
Eu e a Aninha: dupla mista
Foto: Ana Kátia Alves
Aninha cruzando o vão central do Mercado Público de Florianópolis
Foto: Ana Kátia Alves
Passando em frente a Catedral Metropolitana de Florianópolis
Foto: Foco Radical
Palácio Cruz e Souza
Foto: Foco Radical
Encontrando a Carolina Sprícigo - Mulheres na Pista
Pódio - 4º colocados na dupla mista
(Foto: Fausto Egídio - Confraria das Corridas)
Pódio - 4º colocados na dupla mista
Felizes com a premiação - 1ª vez
Troféu e medalhas Chão da Cidade 2018

Local: Largo da Alfândega - FLN/SC
Data: 23/03/2018
Horário: 07:00 h (7h12min)
Distância: 10 Km (4,98 km + 5,14 km = 10,12 km)

Inscrição: R$ 201,40 a dupla
Kit: Sacola, camiseta, pacote de snack, voucher de desconto da loja Capitão Malagueta, pulseira para revezamento, número de peito e chip retornável.

Tempo: 50min30s
Pace médio: 4:59 min/Km
Tênis Edu: Asics Gel Hyper Speed 6
Tênis Ana: Newton Distance IV

Colocação: 004 de 018 (dupla mista)
Colocação: 009 de 051 (geral duplas)

quinta-feira, 22 de março de 2018

18/03/2018 - Circuito Petrobrás Rei e Rainha do Mar - Beach Run

Foto: Foco Radical
Circuito Petrobrás Rei e Rainha do Mar - Beach Run - FLN/SC 
Essa prova apareceu de repente e sem planejamento. Por alguma mídia social fiquei sabendo dessa edição da Beach Run, que é uma das modalidades do Circuito Petrobrás Rei e Rainha do Mar. Além da corrida tem provas de biathlon, natação e sup. Eu conhecia de ver na TV a transmissão da etapa do Rio de Janeiro.

Com um preço promocional convidativo (R$ 56,16 primeiro lote) eu e a Aninha nos animamos a participar. Ainda mais que seria pelas areias de Jurerê Internacional, mais uma das belas praias de Florianópolis. Nos inscrevemos somente para a modalidade de "corrida", cujo percurso era único de 5 km.

A entrega do kit foi realizada na véspera da prova (sábado) na loja Decathlon da SC-401. Fomos retirar os kits no início da tarde e, apesar do movimento da loja, foi bem tranquilo a retirada em si. O destaque ficou por conta da bela mochila da Mormaii, uma viseira e o número de peito já com o chip descartável. Gostei bastante.

Na manhã da prova, como São José não é tão pertinho de Jurerê Internacional tivemos que madrugar para poder chegar com uma hora de antecedência ao local da largada, em frente à Rua das Lagostas. Teria que entregar para a amiga Adriane o kit dela que estava comigo. No trajeto enfrentamos um pequeno congestionamento às 5:45 da manhã devido a dispersão na saída de uma casa noturna na rodovia. Menos mal que local para estacionar perto da prova foi tranquilo.

Chegamos com o dia fresquinho, tempo fechado e com um ventinho. Isso complicaria um pouco a vida dos atletas que participariam das provas no mar por causa do seu agito. O evento disponibilizou  com uma boa infraestrutura, com banheiros químicos, guarda-volumes, tendas de serviços e produtos, massagens, tendas de medalhas, portal enorme, pódio, além de todo parte aquática. Tudo para suportar a multi modalidade esportiva.

No Beach Run (somente corrida) participaram cerca de 200 atletas equilibrados entre homens e mulheres, mas tenho certeza que esse número seria maior se tivesse sido mais divulgado ao público das corridas. Muito amigos nem ficaram sabendo dessa prova ou quando ficaram sabendo já estavam encerradas as inscrições.

Todo o percurso foi pelas areias da praia que, para a nossa felicidade, estava bem firme e favorável para correr. Pontualmente foi dada a largada, às 7 horas, sendo a corrida a primeira das modalidades a largar. Partimos pela areia mais fofa, na altura da Av. das Lagostas e seguimos à direita até quase o final da praia.

Não tinha objetivo de tempo definido, pois sei que o rendimento de correr na areia cai em relação ao asfalto, mas manter um pace abaixo de 4:40 min/km não seria nada mal. Fiz a minha largada mais moderada e me contive, enquanto isso assistia os amigos e amigas dispararem na frente. Acho que quase todos saíram cantando os pneus.

Meu 1º km foi dentro do esperado e serviu para dar uma esquentada, uma vez que não tive tempo de fazer um bom aquecimento antes da largada. Somente a partir do 2º km, mantendo o meu ritmo, fui me posicionando melhor na corrida, que ainda estava acelerada. Seguimos até o retorno, que ocorreu com 2 km percorridos. 


Apesar de ter um posto de hidratação no percurso não utilizei pra não perder tempo. A volta geralmente é bem mais sofrida e conseguir manter o ritmo é sempre um desafio. Até o 3º km até que sustentei, mas no 4º km quebrei um pouquinho passando dos 4:40 min/km. Mas nada muito exagerado.

A parte mais difícil foi o último quilômetro. Chegamos no ponto da largada, mas teríamos que retornar novamente e fazer mais 500m de ida e volta. Aí o psicológico trabalha contra e a briga mental é grande. Mesmo assim ainda consegui melhorar o pace nesse quilômetro final, cravando o tempo líquido total em 22min59s. Digamos que foi um sub-23min bem dos apertados. O meu Garmin registrou 4,98 Km, mas de alguns amigos ficou perto de 5 Km mesmo.
 
Como sempre esse finalzinho é naquele sofrimento máximo, ainda mais tentando correr próximo dos amigos Paulo Henrique, Lélis, Santos, Fausto e Ronaldo. Todos chegando muito próximos. O bom é que um vai "puxando" ou "empurrando" o outro, ficando uma boa disputa !!!

Até que gostei do meu tempo, considerando que pelas praias e dunas do Costão do Santinho não consigo correr abaixo de 25min na distância de 5 Km. Esperei um pouco e vi a chegada das amigas Adriane, Liz, Lislin, e da Aninha, que vieram na sequência. Prova curta chega todo mundo bem próximo.

Me hidratei, peguei uma fruta e uma caixinha de proteína de leite (Natural Wwhey). Depois ficamos assistindo as outras modalidades, que ocorreram em seguida. Acompanhamos a participação da medalhista olímpica Poliana Okimoto na modalidade Beach Biathlon (natação e corrida). Não é sempre que temos essa oportunidade.

Conversamos com a campeã da Beach Run, a querida Jocélia Melek, e também com o Joabe que também correu e muito. Conheci pessoalmente mais alguns amigos "ex-virtuais" das corridas e pudemos bater um papinho: o Ronan de Itajaí e a Sandra aqui de Florianópolis, que estão de parabéns pela participação na prova. 

Encontrei também a corredora e blogueira Andrea Pasold, do blog "A vida é uma corrida". Ela administradoras do grupo @mulheresquecorremoficial, de Balneário Camboriú, e veio me entregar pessoalmente (em primeira mão), o kit do "Treino Virtual Corra com Respeito", organizado por elas. Trata-se de um treino de corrida virtual unissex, voltado à conscientização e luta pelo combate à violência contra a mulher, e ao estímulo e celebração dos benefícios da corrida à saúde física e mental, sendo que as inscrições podem ser feitas com ou sem kit até dia 23/03/2018. Mais informações nos perfis do Instagram e do Facebook: @mulheresquecorremoficial. Adorei o kit e fiquei muito honrado e grato por poder participar dessa ação.

Quanto a premiação, foram entregues troféus no pódio para os 3 primeiros colocados gerais, feminino e masculino. Para os 3 primeiros colocados das categorias por faixa etária foram disponibilizadas medalhas de ouro, prata e bronze, a serem retiradas em uma tenda da organização. Acredito que tenha sido por causa da grande quantidade de categorias e as várias modalidades, o que inviabilizaria a chamada ao pódio uma a uma. Mas que fica um pouco sem graça para o vencedores das categorias, isso fica. Pela listagem da classificação eu bati na trave e fiquei na 4ª colocação da minha categoria de 45 a 49 anos. 

Em resumo, gostei muito da organização do evento e de toda a estrutura que envolveu todas as atividades esportivas do Circuito Rei e Rainha do Mar. Agora, já sabendo da sua existência, ficarei atento para a etapa do ano que vem. 

Percurso da prova (4,98 Km)
Retirada do kit na Decathlon, com Aninha, Fausto, Sô, Tiago e Marcelo
  Kit com destaque para a mochila da Mormaii
Foi de emocionar essa foto da amiga campeã do Beach Run Rainha do Mar, Jocélia Melek
Escobar do "Instituto Paulo Escobar"
Bom rever as amigas Lislin e Liz
Fazendo muita força
(Foto: Alexandre Santiago - Foco Radical)
Areia firme, boa pra correr
(Foto: Foco Radical)
Eu e a Aninha com as medalhas e assistindo as outras modalidades
 Conhecendo pessoalmente novos amigos atletas: Sandra e Ronan
Gisele, Zenilda e a Andrea Pasold do blog "A vida é uma corrida
Medalha de participação do Circuito Petrobrás Rei e Rainha do Mar 2018

Local: Praia de Jurerê Internacional (Av. das Lagostas) - FLN//SC
Data: 18/03/2018
Horário: 7h
Distância: 5 Km (4,98 Km)

Inscrição: R$ 56,16 (Preço especial com cupom de desconto)
Kit: Mochila da Mormaii, camiseta, viseira, pacote de biscoito Piraquê, chip descartável no número do peito.

Tempo: 22min59s
Pace: 4:37 min/Km
Tênis: Skechers Go Meb Speed 3

Colocação: 04 de 014 (45-49 anos)
Colocação: 36 de 105 (masculino)
Colocação: 39 de 197 (geral)