quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

05/02/2017 - 9ª Corrida Rústica Portonave - Navegantes / SC

Foto: Ana Paula Marcon
Corrida Rústica Portonave - Navegantes / SC 
Após três anos de ausência tive a oportunidade de voltar a participar da Corrida Rústica Portonave, realizada em Navegantes, localizada a cerca de 115 Km de Florianópolis. Nas últimas edições, por motivo de choque de datas com outros eventos, não foi possível estar presente.

No início do ano quase todas as provas aqui na região são realizadas em praias e essa não foi diferente. A vantagem nesse caso é o pós-prova quando os dias estão quentes. Dá para aproveitar um bom banho de mar para refrescar o corpo depois de uma prova literalmente suada.

A entrega do kit foi no Ginásio de esportes de Navegantes, na véspera da prova (sábado). Foi organizada uma pequena Expo para os atletas, com venda de produtos voltados aos corredores, como tênis, óculos, relógios com GPS, entre outros. Para a retirada do kit foi obrigatório a doação de uma lata/pacote de leite em pó (destinado a uma instituição). Para facilitar quem havia esquecido estavam vendendo também por lá o pacote de leite em pó por R$ 10.

Para aqueles que não puderam ir na véspera foi possível retirar somente o chip e o número do peito no dia da prova. Acabamos indo no sábado para poder retirar o nosso kit, do Enio e do Guilherme do Podcast "Por Falar em Corrida". Foi bem tranquilo, mas ainda sou a favor da entrega dos kits integrais no dia da prova também para aqueles que vão de outras cidades. Os atletas já tem o deslocamento por fazer e não acho justo ficarem sem o kit completo. Eu mesmo já deixei de participar de algumas por causa disso.

Essa prova cresceu bastante atingindo cerca de 1.500 inscritos, segundo a organização. Um dos principais destaques são as premiações em dinheiro que atraem muitos atletas de fora, inclusive de outros estados. Tem como opções as distâncias de 5 Km ou de 10 Km, com percurso todo pela areia da praia. Praticamente uma linha reta até metade das distâncias e retorno.

Nunca tinha conseguido desenvolver uma pace abaixo de 5 min/Km nessa prova e esse ficou sendo o meu objetivo. Para uma prova de 10 Km pode até parecer fácil, mas em areia a coisa complica um pouco.

Chegamos às 6:45 no dia da prova, com 1h15min de antecedência para a largada. Ainda estava tranquilo para estacionar. Aos poucos fomos encontrando muitos amigos da grande Florianópolis, sendo que a maioria foi e iria voltar no mesmo dia. Também encontrei com o amigo Neumann que iria correr descalço na areia. Quase me convenceu em correr assim também, mas preferi não arriscar, pois seriam 10 Km. Precisaria de um jeito de fixar o chip e não sabia como estaria a areia. Aquela coisa, nunca é bom testar pela primeira vez uma situação ou um produto em uma prova.

A largada aconteceu às 8 horas para os atletas dos 10 Km. Eu e a Aninha largamos também. Antes mesmo de sair eu já estava pingando de suor. Talvez por causa da umidade que registrou 100% no Garmin. Já estava com o pressentimento de que não seria fácil. Dez minutos depois foi a vez da largada dos atletas dos 5 Km, mas eu já não estava lá pra ver.

No início procurei correr bem rente ao mar onde a areia era mais dura. Lógico que a maioria teve a mesma ideia. O único inconveniente foi que às vezes o mar avançava de forma irregular e tínhamos duas opções: ou desviar fazendo uma voltinha maior ou enfiar o tênis na água e seguir em linha reta. Não pensei duas vezes e nem me incomodei com os tênis molhados.


Nos dois primeiros quilômetros ainda me sentia bem. Até imaginei que poderia fazer uma boa prova. Entretanto, já avançando pelo 3º Km, comecei a sentir um certo cansaço precoce e o rendimento começou a ficar prejudicado. Pensei no "espeto corrido" da véspera e nos 3 copos de suco de laranja que tinha tomado no café da manhã. Parece que estavam lá correndo comigo. Será ? Me sentia ainda meio pesado. Vontade enorme de caminhar.

O percurso não tinha muita variação. Era uma linha reta pela praia e retornava igualmente no sentido inverso. Aliás, acho que foi a prova mais "linha reta" que já fiz. Postos de hidratação foram importantes, pois estava muito quente. Eu contei três com água gelada pelo percurso dos 10 Km. Pelo primeiro ainda passei correndo, mas já alimentava a ideia de dar umas caminhadas. Resisti até um pouco depois do retorno, no 2º posto de hidratação. Nesse ponto cedi e começou aí a minha sequência de paradinhas para descanso e hidratação.

Enquanto me hidratava e caminhava só observava os amigos passando e seguindo em frente. Tentava voltar a correr, mas logo me cansava e ficava muito ofegante. Muito estranho, pois normalmente consigo suportar. Acho que não era dia. Nesse final, em pouco mais de 3 Km, foram umas 4 caminhadas rápidas. Só quando faltavam menos de 2 Km que consegui correr seguidamente, mesmo assim com extremo esforço.

O alívio veio quando avistei o portal de chegada. Sabia que essa prova era mais pesada, mas não esperava tanto. Pelo menos consegui chegar. O tempo líquido de 53min36s foi alto para os 10 Km, o maior de todas as minhas participações anteriores. Agora vou ter que voltar ano que vem para me redimir.

Na chegada recebemos a medalha e fomos encaminhados para a área de hidratação e alimentação. Demorei alguns minutos para me recuperar entre copos de água, frutas e Nitrix. Não tive forças e nem estava muito bem para ir buscar a Aninha. Quando pensei em ir vi que ela já tinha chegado.

Após uma breve recuperação fomos nos refrescar com um bom banho de mar. Aliás, alguns dos amigos, Fausto e família, Egomar, Lúcio, estavam por la aproveitando o belo dia de praia. Um detalhe é que o mar estava agitado e puxava forte. Todo cuidado era pouco, principalmente com as crianças.

Acompanhamos de longe a premiação, pois o sol estava intenso e tivemos que nos abrigar. A cerimônia demorou um pouco, pois teve premiações para gerais para as distâncias de 5 Km, 10 Km (com categorias por faixa etária também), para moradores de Navegantes, e colaboradores da Portonave, inclusive com premiações em dinheiro.

A corrida teve um grande crescimento desde a minha última vez por lá e as instalações de Navegantes à beira da praia também melhoraram muito, tornando-se um ambiente mais acolhedor. Com a organização por conta da Corre Brasil notou-se um impulsionamento no número de inscritos, com mais de 1.150 concluintes.

Percurso da prova (10,08 Km)


 Kit da prova. O tecido da camiseta poderia ser melhor.
Entrega do kit com Expo, no Ginásio de Esportes de Navegantes
Com as feras femininas: Aninha, Susi, Jocélia e Elenir
 Quantos Km, Neumann ? 
Algumas amigas Loucas por Corridas: Elza, Juliana, D. Eni, Josiê e a Aninha
 Alguns amigos de Floripa: Ademar, Analto, Cleto e Fausto do Confraria das Corridas
 Largando...
(Foto: César August) 
 Vontade de pular na água antes
(Foto: Alexandre Santiago - Foco Radical)
Esforço final na areia fofa da chegada
(Foto: Christian Schmidt Mendes - Foco Radical)
 Medalhas para os concluintes de 5 Km e 10 Km
  Merecido banho de mar pra comemorar
 Medalha sofridinha essa
  A parte boa da prova na praia.

Local: Praia de Navegantes - FLN//SC
Data: 05/02/2017
Horário: 8:00 Hs
Distância: 10 Km (10,08 Km) 

Inscrição: R$ 39,00 (Preço primeiro lote)
Kit: Sacolinha, camiseta, viseira, squeeze, barra de Supino Protein, revista Corre Brasil, chip descartável e número de peito.


Tempo: 53min36s
Pace: 5:19 min/Km

Colocação: 015 de 030 (45-49 anos)
Colocação: 175 de 321 (masculino)
Colocação: 193 de 433 (geral)

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

28/01/2017 - Night Run Costão do Santinho 2017

 Foto: Alexandre Carvalho (Foco Radical) 

Night Run Costão do Santinho - FLN/SC 
A Night Run Costão do Santinho mais uma vez abriu a minha temporada de corridas. Como no começo do ano estou meio devagar ainda, optei por fazer a distância de 5 Km ao invés dos 10 Km. Também por ser um pouco mais pesada com passagens por dunas de areia fofa, que exige um esforço maior. Na verdade é preguiça de início de ano mesmo.

Fiz a minha inscrição no lote promocional antecipado para ex-participantes no início de Novembro, e ficou bem acessível, R$ 75,88. Valeu a pena garantir, pois somente pelos itens do kit de participação, medalha e estrutura pós-prova se pagou.

A entrega do kit mudou de local em relação aos outros anos. Foi realizada na DVA Jeep, na Agronômica. Eu e a Aninha fomos retirar ainda na sexta-feira, véspera do evento. Deu até vontade de comprar um Jeep Renegade, que estava exposto em promoção na entrada, mas fiquei só na vontade mesmo. A entrega do kit continuou no sábado (dia do evento), com horário mais restrito, inclusive com possibilidade de se fazer ainda a inscrição nas duas distâncias, mas com o preço de último lote.

No dia da prova, saímos de São José por volta das 18 horas. A intenção era chegar no Costão do Santinho até às 19 horas. E foi o que aconteceu, com pequenos trechos de congestionamento. Como o dia estava fechado, não favorecendo banho de mar, conseguimos uma boa vaga na rua de acesso à praia. Mesmo assim tivemos que deixar R$ 5 para os flanelinhas. O estacionamento privativo estava R$ 10 (ano passado foi R$ 20).

Às 19:30 a arena onde se concentravam os atletas já estava bem movimentada. Inúmeras assessorias esportivas com as suas tendas já estavam devidamente instaladas e marcaram forte presença. A estrutura para o evento estava excelente, com painéis para fotos e para pinturas, banheiros químicos, e a área de concentração pós-prova para os atletas com vários produtos e serviços.

Encontramos vários amigos que também estavam iniciando as corridas de 2017. Tudo estava indo bem, até que de repente começou a chuviscar. Era uma chuvinha fina, mas que começou a assustar, trazendo a lembrança do ano passado. Todos correndo para se abrigar nas tendas espalhadas. Mas para a nossa felicidade a sorte foi outra, não ventou muito, não relampejou e a chuvinha foi parando aos poucos.

No horário da largada, às 21 horas, a chuva praticamente parou. Deu até para fazer um vídeo "ao vivo" para o Facebook instantes antes da contagem regressiva. 
Confira: https://www.facebook.com/eduardo.hanada/videos/1325782744140781/

A largada foi simultânea para as distâncias de 5 Km e 10 Km, sendo que minutos antes saíram os atletas portadores de necessidades especiais e seus guias. Enquanto todos passavam pelo portal iniciou-se a queima de fogos, que iluminou e abrilhantou esse momento. Não me contive e tive que dar umas viradinhas para trás para poder contemplar um pouco do lindo visual, mas já em ritmo de corrida.

Conhecendo um pouco o percurso e sabendo da dificuldade das dunas não saí tão forte como de costume. Procurei um ritmo bom pra se levar a prova. A areia da praia estava dura em uma boa faixa ficando muito bom para correr. Não peguei muito congestionamento, pois corri bem perto da água.

Estranhamente, logo após a largada já estava sentindo calor, um abafado. Não sei se foi por causa dos fogos. Estava bonito de se ver ao redor, quase todos com as lanterninhas na cabeça, na barriga (como a Ana), ou na mão (como eu).

 Garmin - Night Run Costão do Santinho 2017 - FLN/SC

Percorremos cerca de 1,5 Km pela praia com areia dura e favorável para velocidade. Nesse trecho foi tudo dentro do esperado. A partir de então entramos nos trechos de areia fofa, afunilando a faixa para correr. Logo o meu ritmo despencou. Parece que quanto mais tentava me manter forte mais afundavam os meus pés, exigindo mais esforço. Preciso descobrir um jeito de conseguir um melhor rendimento nesse tipo de piso.

A essa altura já não havia tantas luzes das lanterninhas ao redor. O que salvou foram algumas varas iluminadas com luzinhas colocadas durante o trajeto, marcando o percurso. Caso contrário ficaria uma escuridão total. Esse trecho é um dos grandes responsáveis por eu não gostar de fazer a distância de 10 Km nessa prova. Sinto o meu batimento cardíaco subir muito, me deixando totalmente ofegante. Fui obrigado a reduzir o ritmo. Gosto de correr com regularidade, sem grandes variações de esforços. 

Percorrido cerca de 1 Km nesse terreno de areia fofa chegamos a bifurcação que dividia as duas distâncias: 5 Km para a direita, e 10 Km para a esquerda, sinalizava um staff posicionado estrategicamente. Como eu era dos 5 Km virei à direita e comecei o meu caminho de retorno, não vendo a hora de chegar na praia novamente. Os atletas dos 10 Km ainda seguiram no sentido da Praia dos Ingleses e só retornaram mais à frente. Esse foi o grande diferencial nessa distância em relação aos anos anteriores. Não teve repetição de volta.

Como sempre, na passagem pelas dunas fui mais ultrapassado que consegui ultrapassar. Tenho a incrível sensação de ser uma tartaruga nesse tipo de terreno. Vejo o pessoal passar por mim com extrema facilidade e não consigo acompanhar. Somente depois de chegar a praia novamente e recuperar um pouco do fôlego que consegui recuperar algumas posições. Mas aí a prova já está no fim.

A chegada, só pra complicar um pouquinho, é em areia fofa novamente. Consegui concluir a prova com o tempo líquido de 26min16s, um pouco acima de 2016 com 25min30s e um pouco abaixo de 2015 com 26min22s. Razoável. Foi o que deu pra fazer nesse início de temporada. Também tinha vindo de uma semana de recuperação de uma possível virose que me pegou pra valer.

Após cruzar a linha de chegada, enquanto me recuperava, fiquei esperando pela Aninha. Sabia que ela chegaria alguns minutos depois. E ela veio bem rapidinha, melhorando o seu desempenho em relação ao ano passado, e concluindo com o tempo líquido de 30min09s. Excelente !!!

Após a sua chegada fomos para a arena de concentração dos atletas. Eu queria mesmo era aproveitar o pós-prova. No acesso, recebemos a bonita medalha e vários tickets para a retirada de vários produtos. Frutas e água estavam liberadas com uma farta mesa central. Contra a entrega dos tickets cada atleta podia retirar um saquinho de pão de queijo, queijo polenguinho, caixinha de cappucino, caixinha de suco, amostra de açaí, snakes de granola e barra de cereal. Para cada item era necessário pegar uma fila diferente. Quando retiramos os nossos produtos ainda estava tranquilo, mas minutos depois as filas estavam gigantes.

Ainda na arena estavam servindo um cafezinho quentinho da 3 corações e a Elementos Massoterapia prestava o serviço de massagem aos atletas. Tentei chegar cedo pra conseguir fazer, mas a fila já estava grande.

A premiação foi bem rápida e aconteceu no momento que começou a apertar um pouco mais a chuva. Foram premiados os 5 primeiros colocados gerais das distâncias de 5 Km e 10 Km, nas categorias masculina e feminina. Apesar do regulamento não prever premiação por categoria de faixa etária, observei vários comentários e sugestões para que se tivesse nas próximas edições.

Em resumo, com a ajuda de São Pedro, tivemos um belíssimo evento com muita gente diferente e nova participando. Sem dúvida é uma excelente prova para se iniciar o calendário de corridas aqui em Santa Catarina. Está aberta oficialmente a temporada.


Percurso da prova (4,97 Km)
  Retirada do kit na DVA Jeep com a Aninha
  Kit muito bom com o headlamp (Se viesse com pilha ia facilitar muito)
Chegando cedo com a Aninha. Ainda claro.
Painel para registrar as mensagens com tinta guache
Com a Rose e a Fran da Elementos Assessoria, prestando serviços no evento
Palco da corrida - Praia do Costão do Santinho
(Foto: Lia Lopes)
Portal de largada e chegada
 
 Conseguimos nos encontrar dessa vez. Com Sabine e Fabíola, antes da largada
 Headlamp ou Handlamp ? Preferi levar na mão.
(Foto: Mark Maderovysk - Foco Radical) 

Após a chegada com o amigo Jeffrey Messa
 
Medalha da prova

Local: Praia Costão do Santinho - FLN//SC
Data: 28/01/2017
Horário: 21:00 Hs
Distância: 5 Km (4,97 Km) 

Inscrição: R$ 75,88 (Preço especial antecipado para ex-participantes)
Kit: Sacolinha, camiseta regata, headlamp, porta lanche, caixinha de polenguinho, pacote de granola, barra de cereal, sachê de capuccino, chip descartável e número de peito.


Tempo: 26min16s
Pace: 5:18 min/Km

Colocação: não teve (45-49 anos)
Colocação: 71 de 434 (masculino)
Colocação: 78 de 972 (geral)

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

15/01/2017 - Trilha da Costa da Lagoa - FLN/SC

 Trilha da Costa da Lagoa - FLN/SC

Fotos da Trilha FB

Como essa época do ano não tem muitas corridas oficiais na região aceitei o convite da D. Eni e da Juliana Larini para me juntar a essa turma e conhecer mais uma trilha aqui de Florianópolis. Essas oportunidades são legais, pois fazemos um treino não formal, sem grandes compromissos, e com amigos que já tem um conhecimento do local, para orientar e ajudar a guiar.

O horário combinado foi bem cedinho, às 7:30 de domingo. Fomos daqui da região de São José, eu a Aninha, o Enio e a D. Ivone. Saímos 6:50 do continente e o trânsito estava bem tranquilo. Quando chegamos já havia uma certa movimentação e boa parte do grupo deixou o carro no estacionamento, bem próximo do início da trilha. Preço R$ 20. Vaga na rua já era impossível.



Aos poucos foram chegando mais e mais gente e fotos não faltaram. Pela minha contagem rápida foram cerca de 50 pessoas. O detalhe é que enquanto aguardávamos o início as picadas de insetos não paravam e o uso do repelente foi indispensável. Item de primeira necessidade.

Às 8 horas em ponto partimos. O grande grupo só esteve junto para a foto oficial, depois cada grupinho seguiu determinando um ritmo. Alguns foram pra fazer um treino forte, outros aproveitaram pra trotar e curtir a natureza, e outros, como eu, praticamente só caminharam pelo percurso. A foto a seguir marca o início da trilha.



Em alguns pontos tínhamos que seguir em fila única, com trilhas mais estreitas. Muitos trechos também com pedras, principalmente na parte inicial. 


O tempo estava bom, quente e com sol. Uma coisa que me chamou a atenção é que apesar dela ser bem aberta e com caminhos bem definidos, por muitas passagens a vegetação mais alta nos protegia de uma maior exposição ao sol. Isso facilitou bastante.


Hidratação é importante levar sempre, principalmente em dias quentes onde a sede é maior. Achei interessante que mais para o fim da trilha encontramos até um ponto de venda de bebidas com estrutura, no meio do nada. Acredito que deva funcionar somente durante a temporada.



Com trechos de chão batido e trilhas mais largas o nosso grupinho seguia animado e observando de pertinho a vegetação nativa. A Aninha fez um belo trabalho de registrar a flora presente no percurso. Quem quiser conferir esno álbum, "Flores da Trilha da Costa da Lagoa".


De vez em quando eu até arriscava a dar um trotezinho. Em alguns pontos era bem convidativo. Aliás, a trilha é bem tranquila para a prática de corrida, sem grandes complicações de acesso às passagens.

 
No trecho final já é possível encontrar mais casas ao arredores e uma melhor infraestrutura. Tem vários moradores por lá, onde o acesso se dá pela trilha ou por barcos. Parece ser um local bem tranquilo para se viver, mas eu ainda prefiro a civilização.


A melhor parte da trilha e a mais esperada foi a chegada a cachoeira, já no finalzinho. Bastante suado e um pouco cansado o banho nas águas foi super refrescante. O pessoal que chegou bem antes já tinha entrado, saído, se trocado, e já estavam lanchando. O nosso grupo foi o último a chegar. Valeu a pena a recompensa. Local muito bonito e que ajudou a dar uma revigorada.


Um item que não levei e senti falta foram os chinelos. Na saída dessa piscina natural sofri pra caminhar no meio das pedrinhas. Da próxima vez não esqueço.

Pelos registros do garmin levamos pouco mais de 2 horas para percorrer os 5,78 Km. O pessoal que seguiu mais a frente em ritmo mais forte fez esse mesmo percurso em aproximadamente 50 minutos, correndo.


Depois de um bom banho nas águas da cachoeira bateu aquela fome. E se acentuou quando vi um outro grupo de turistas fazendo um churrasquinho por ali mesmo. Nos apressamos então para achar um local para comer e um pouco mais a frente começaram a aparecer mais casas e os primeiros restaurantes e comércio. Era o final da trilha.

O grupo estava com fome e acabaram se dividindo pelos restaurantes. Alguns comeram no Paraíso da Neia, que tinha um preço um pouco maior (aproximadamente R$ 42 por pessoa por uma sequência), com excelente localização e instalações. A outra metade do grupo acabou optando por comer no Bar do Chico, o primeiro restaurante que havíamos visto na saída da trilha. Mais simples, mas com o preço bem convidativo. Por R$ 15,00 o prato acompanhava com arroz, um delicioso feijão, fritas, salada, e peixe ou frango. Como éramos em quase 20 ele ainda fez R$ 13 por pessoa. Escolha acertada com direito a comer até não conseguir mais, e também ao serviço de Wi-Fi disponível, para nossa surpresa.


Depois da comilança, uma relaxada e hora de voltar. Mas quem disse que voltaríamos pela trilha ? Alguns até encararam novamente, mas como tínhamos a opção de retornar por barco, a maioria não teve dúvidas. Por R$ 10 por pessoa fizemos um belo passeio de quase 30 minutos podendo ver a Costa da Lagoa pelo lado do mar. Deu até pra dar uma cochiladinha. Os barquinhos tem pontos com horários de passagem pré-determinado (por hora).


O nosso barquinho de translado até o ponto de partida foi praticamente fretado pela D. Eni. E o grupo voltou bem confortável podendo admirar bem a vista da Costa da Lagoa e o mar. Excelente escolha novamente.



O barquinho nos deixou exatamente no ponto de onde partimos pela trilha e em frente ao estacionamento. Foi um dia muito proveitoso e com uma trilha que me agradou bastante. Vale a pena repetir.


Percurso da Trilha da Costa da Lagoa


Local: Costa da Lagoa - FLN/SC
Data: 15/01/2017
Horário: 07:30 Hs
Distância: 5,78 Km

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

17/01/2017 - Ranking Brasileiro de Maratonistas 2016



Em 2016 fiz somente uma maratona, a Sao Paulo City Marathon. Foi a escolhida por ser nova, com expectativa de oferecer uma excelente estrutura e ainda ser realizada na cidade em que vivi boa parte da minha vida. Apesar de saber que ela não seria tão favorável para se buscar tempo de prova apostei todas as fichas na minha única tentativa de continuar no ranking de maratonistas CR. As maratonas de POA e de Curitiba coincidiram com as meias maratonas em Florianópolis e eu optei pelas locais. Não tivemos maratona oficial em Santa Catarina em 2016.

Acho bem interessante a ideia desse ranking, pois torna-se mais um fator motivacional para os atletas continuarem treinando e se esforçando em busca de um objetivo. Para entrar no ranking além completar a maratona é preciso chegar abaixo do tempo-limite estabelecido para cada faixa etária.

Quais são os tempos limites para ingressar no ranking de maratonista CR ?


Fonte: Revista Contra-Relógio - Edição Jan/2017

Quais as maratonas oficiais previstas para 2017 válidas para o Ranking da CR ?


A tabela a seguir apresenta a quantidade de atletas que entraram no ranking versus os concluintes. Por ela dá pra se ter uma ideia da dificuldade de cada prova. Claramente a maratona de Porto Alegre é a que mais favorece a entrada no ranking, principalmente por ser plana e geralmente com temperaturas baixas:




Além de poderem receber o Diploma de Maratonista 2016 (impresso), os assinantes da revista que obtiveram resultado em  alguma das maratonas oficiais abaixo do tempo-limite podem encontrar também o seu nome registrado na Edição de Janeiro da Revista Contra-Relógio, na listagem por faixa etária do Ranking Brasileiro de Maratonistas CR. O meu está lá, posição 472 !!!



Em 2017 as tentativas de melhorar a posição no ranking devem ser nas maratonas de Porto Alegre, Florianópolis e Curitiba.