quinta-feira, 29 de setembro de 2016

25/09/2016 - Bimbo Global Energy Race 2016 - Etapa Florianópolis

(Foto: Adriane Carmignan - Foco Radical)
Bimbo Global Energy Race 2016 - Etapa Florianópolis

No último domingo, 25/09/16, foi realizada a 2ª edição da Global Energy Race, disputada em 22 países, em 37 cidades simultaneamente. Teve como objetivo promover a busca por uma vida mais saudável através de uma alimentação balanceada associada a prática de exercícios regulares. Em 2015 ela ocorreu somente em Belo Horizonte, e esse ano somaram-se as cidades de Florianópolis, Brasília e São Paulo, aqui no Brasil.

Com a organização da Epic Sports, era possível participar do evento nas modalidades de caminhada (3 Km) e corrida (5 Km e 10 Km), onde o grande atrativo da premiação dos 10 Km era uma viagem para a China em 2017 para participar da etapa de lá.

Um detalhe que não foi legal em relação aos valores e benefícios das inscrições é que aqueles que se anteciparam para garantir a sua participação pagaram o preço cheio. Posteriormente foram oferecidas condições melhores, mais próximo da data da prova. Não foi muito justo.

A entrega dos kits foi feita na loja Decathlon da SC-401, na sexta e no sábado que antecederam o evento. Fui na sexta-feira mesmo, aproveitando para pegar o kit de alguns amigos. Tudo estava tranquilo. Gostei do kit que além da camiseta e da sacola tinha uns pacotes de bolinhos e uma sanduicheira, que será muito útil. É claro que a estratégia de entregar os kits em loja de esportes sempre funciona. Difícil sair de lá sem comprar alguma coisinha.

O horário da largada na etapa de Florianópolis estava marcado para às 7 horas de domingo. Bem cedinho e com o tempo bom foi excelente. Eu e a Aninha chegamos às 6 horas, preocupados com local para estacionar. Estranhamos que dessa vez estava bem tranquilo. Melhor assim.

A arena do evento tinha uma boa estrutura e bem espalhada, digna dos grandes eventos. Os amigos que iriam participar ou simplesmente prestigiar iam chegando aos poucos, deixando o ambiente bastante familiar. Provas assim são mais agradáveis de participar.

Esqueci até de me aquecer direito e me posicionar para a largada. Larguei um pouco mais atrás. Eu iria fazer a prova de 10 Km e a Aninha os 5 Km. A largada para as duas distâncias foi junta, e a caminhada de 3 Km foi realizada só no finalzinho da corrida.

Como na maioria das provas de 10 Km na beira mar continental o percurso contou com duas voltas de 5 Km cada. Para os atletas dos 5 Km logicamente foi somente uma volta. O cenário é muito lindo, mas duplicá-lo em ritmo de corrida é psicologicamente castigante.

Lembrando da minha última experiência na corrida passada e nesse mesmo local, fiz uma largada mais conservadora tentando manter um pace médio em torno de 4:30 min/Km. Como o percurso é velho conhecido e praticamente todo plano não deveria ser tão difícil. O 1º Km e o 2º Km foram bem dentro do planejado.

Eis que no final do 2º Km fizemos uma entrada (saindo da beira mar) por um trechinho curto à direita e que nos levaria a uma subidinha, breve, mas que quebrou um pouco o ritmo. Nessa primeira volta ainda foi compensada com a descida em seguida. Mas já fez o meu coração acelerar os batimentos.


De volta a avenida beira mar e seguindo até o retorno na altura do IFSC, fui tentando me recompor do esforço a mais dispendido na subida. Não estava fácil, mas foi o meu melhor quilômetro. Porém, a partir do 4º Km, já em pista reta e plana não conseguia correr mais abaixo dos 4:30 min/Km. Na verdade até poderia, mas tinha que lembrar da 2ª volta. Não dava pra exagerar.

Completando a 1ª volta dei uma conferida no Garmin e vi que a distância registrava os 5 Km. Bom sinal. A distância da prova estava aferida, pois a segunda volta seria idêntica. Segui pela beira mar já preocupado novamente com a subidinha quebra ritmo. E quando ela chegou dessa vez quebrou mesmo. Já cansado e sem fôlego, o pace foi lá pra casa de 4:45 min/Km. Esperanças de sub-45 foram para o espaço.

Na descida dessa vez nem deu pra recuperar muito, e na volta o sacrifício foi grande para não deixar o pace subir tanto. Água eu só peguei na 1ª volta para molhar um pouco a boca. O dia não estava quente e não precisei de mais hidratação.

No quilômetro final emparelhei com um outro atleta, número 201, e a partir de então até o final fomos praticamente juntos. Foi legal que estávamos em um mesmo ritmo, e nenhum dois dois queria ficar para trás. Isso ajudou no pace do último quilômetro.

Meu tempo líquido ficou em 45min40s. Um pouco acima do que pretendia. As condições para essa corrida estavam excelentes, mas não deu mesmo. A respiração mais uma vez me limitou. Acho que preciso também voltar ao peso de antes, uns 3 Kg a menos.


Cobertura da prova pelo PODCAST POR FALAR EM CORRIDA

Na chegada, aí sim, tomei bastante água e fui retirar a linda medalha. A estrutura estava muito boa com tenda de massagem, espaço para as crianças, área vip com distribuição de pães, ursinho Pullman para tirar fotos com o público, e o que mais chamou atenção do pessoal que curte fotos e redes sociais, uma tenda que fazia a impressão das imagens postadas no Instagram com a hashtag #pullmanglobalenergyflp. Bem legal. Ficou lotada.

Depois assistimos a premiação, com o Diogo e a Ana Cláudia vencendo a corrida de 10 Km e ganhando a viagem, com acompanhante, para participar da etapa da Global Energy Race em 2017 na China. Fim dos trabalhos, fomos para mais um merecido café da manhã, pois com a largada bem cedinho ainda era 9:30 da manhã e a fome estava grande.

Foi uma prova bem agradável de participar e com uma organização muito boa. Posteriormente foi divulgado que esse evento entrou para o Guinness World Records, com o maior número de cidades incluídas na mesma corrida de 10 Km em um único dia.


Percurso de uma volta da prova com o trecho adicional (5 Km)

Kit da prova com destaque para a sanduicheira
A galera foi chegando
 (Foto: Eni Griss)
Largamos, com Luciano acelerando à esquerda
(Foto: Alexandre Carvalho - Foco Radical)
Cartão Postal de Florianópolis
(Foto: Mariana Lapa)
Pose pra foto #sqn
(Foto: Alexandre Santiago - Foco Radical)
Última volta e acelerando
(Foto: Mariana Lapa)
(Foto: Dete Silva)
 
Sprint final
(Foto: Alexandre Carvalho - Foco Radical)

Último gás
(Foto: Ana Paula Marcon)
Cruzando a linha de chegada. Tempo líquido: 45min40s
(Foto: Lia Lopes)
Com a Aninha e a medalha (frente e verso). 

Com a Aninha e os amigos Jabson e Juciana

Local: Beira mar continental - FLN/SC
Data: 25/09/2016 
Horário: 7:00 Hs
Distância: 10Km (10,1 Km) 

Inscrição: R$ 40 em grupo (R$ 75,00)
Kit: Camiseta, 3 pacotes de bolinhos, sanduicheira, número de peito e chip descartável. 
Tempo: 45min40s
Pace: 4:31 min/Km

Colocação: 008 de 040 (45-49 anos)
Colocação: 066 de 266 (masculino)
Colocação: 074 de 346 (geral)

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

11/09/2016 - SESI Corridas do Bem - Etapa Florianópolis

 (Foto: Lúcio Lange Rila - Foco Radical)
SESI - Corridas do Bem - Etapa Florianópolis

Ano passado participei das duas etapas do SESI - Corridas do Bem que foram realizadas em São José e na beira mar norte, em Florianópolis. Tinha boas lembranças por ter obtido os meus melhores tempos em provas de 10 Km. Esse ano, mesmo não estando nas minhas melhores condições (mais pesado e sem muitos treinos de velocidade), quis tentar melhorar um pouco. A diferença foi que o percurso da prova mudou para a beira mar continental.

A organização divulgou inicialmente um total de 1.466 atletas distribuídos entre as distâncias de 5 Km (804 inscritos), 10 Km (578 inscritos) e caminhantes (84 inscritos). Uma quantidade bastante expressiva em provas de rua na grande Florianópolis. Ajudou o fato do valor da inscrição estar bem em conta para a comunidade (R$ 44 no 1º lote), e mais ainda para os industriários (R$ 34 no 1º lote).

A retirada do kit foi realizada na véspera da prova na Unidade Regional Sudeste do SESI, em São José. Tudo bem tranquilo. Percebi que em comum, os kits continham uma camiseta rosa ou roxa, e que os demais itens parece que variavam de um kit para outro. Mesmo assim o valor da inscrição praticamente se pagava pelo kit oferecido.

Já sabendo da quantidade de atletas chegamos bem cedo na Beira mar continental para conseguir uma boa vaga. Também precisava entregar o kit da amiga e atleta Andrea Pasold, que vinha de Balneário Camboriú. A Andrea também tem um blog de corrida: A vida é uma corrida. Vale a pena conferir.

O dia amanheceu bonito e a princípio bem agradável, ao contrário da última experiência na Meia de Floripa, que estava um frio beirando 4 ºC. Fazia tempo que não encontrava tantos amigos em uma corrida. Fica bem mais animado e legal quando a maioria tem condições de participar. Parece até que estamos em casa.

Como as largadas dos 5 Km e 10 Km foram simultâneas, fui me alinhar o mais a frente possível. Não consegui avançar muito, mesmo com uns 10 minutos de antecedência. Era muita gente. Próximo das 8:00 foi dada a largada. Como o pessoal da frente costuma disparar, não perdi muito tempo nesse início. Além disso, a avenida bem larga facilita bem a dispersão e a distribuição dos atletas.


O percurso foi o tradicional, da beira mar continental. Uma volta para os 5 Km e duas voltas para os 10 Km. Saindo da ponta da beira mar até a altura do IFSC e retornando.

A minha ideia era correr com um pace regular próximo de 4:25 min/Km. O problema é que depois da maratona, há pouco mais de um mês, não consegui encaixar um bom ritmo de treino e também acabei ficando um pouco mais pesado, uns 3 kg. Mesmo assim larguei animado, conseguindo ir bem até o 3º Km. Acho que foi a empolgação inicial de prova.


Já no 4º Km o rendimento começou a cair. Um fator que acredito tenha contribuído com essa quebra de ritmo foi o calor e o sol mais intenso, principalmente na 2ª volta. Confesso que no final da 1ª volta a tentação de ficar por ali mesmo (5 Km), foi enorme. Menos mal que consegui resistir e segui em frente.

Estranhamente eu sentia que estava em esforço máximo, mas em ritmo de prova pior do que estaria em uma meia maratona, com paces na casa de 4:45 min/Km, nessa 2ª volta. No retorno da 2ª volta, como estava sentindo muito o calor, peguei 2 copos de água e caminhei um pouco para me hidratar melhor. Isso foi bem rapidinho, mas precisava.

Aliás, posteriormente boa parte dos atletas que fizeram os 10 Km relataram que houve falta de água, principalmente nesse posto de hidratação mais distante da largada. O problema é que foi em uma parte crítica do percurso com o calor intenso. Quando passei ainda tinha, mas parece que acabou rapidamente.

Bom, voltando a minha corrida, eu não via a hora de terminar. E estava me arrastando. Pra não ficar tão feio ainda tentei um sprint final. Não sei pra que...rs. Pior que a distância também nem fechou os 10 Km, faltando uns 100 metros, como indicou a maioria dos GPS dos amigos. Na beira mar continental até é possível fazer essa distância ser mais exata, recuando um pouco o ponto da largada e o retorno.

Dessa vez cheguei fisicamente pior do que normalmente eu chego, devido ao esforço final. Tive até que parar por alguns minutos com a impressão de estar meio fora de mim. Meu tempo líquido ficou em 45min45s. Retirei a medalha e fui me hidratar com muita água e melancia na área do atleta. Mais uma vez ouvi relatos posteriores que também faltou água na chegada para o pessoal dos 10 Km que veio em seguida.

Para nós que estamos acostumados a participar de provas, a falta de água já é um pouco complicado. Fico imaginando para a grande quantidade de atletas novos e iniciantes que estão começando nesse esporte, como foi o caso dessa corrida. A hidratação, sem dúvida, é um dos itens principais em uma prova, ainda mais em dias muito quentes, pois envolve a saúde dos atletas. Muito importante para os organizadores se atentarem para esse quesito.

Fui então buscar a Aninha que também estava sofrendo na distância dos 10 Km. Duas voltas não são fáceis. Eu ainda nem estava tão recuperado, mas consegui acompanhá-la pelo seus últimos 700 metros, e ela terminou bem a sua prova.

Depois de se trocar e dar uma boa recuperada, o lindo dia ensolarado proporcionou aquela confraternização com os amigos que íamos encontrando. Além disso, teve algumas tendas com serviços de massagens aos atletas e patrocinadores expondo seu produtos. Pra finalizar acompanhamos a entrega da premiação.


Percurso: cada volta aproximadamente 4,95 Km

Kit da prova com itens que vieram no meu kit. Alguns itens variavam. 
  Com os amigos corredores mais experientes
(Foto: Viliam Oto Boehme)
Completando a 1ª volta.
(Foto: Foco Radical)
Buscando a Aninha que chegou forte
(Foto: Sebastião Santos)
Chegada. Tempo líquido: 45min45s
(Foto: Lia Lopes)
Evento movimentado
 Com alguns dos amigos Loucos por Corridas
 Medalha

Local: Beira mar continental - FLN/SC
Data: 11/09/2016 
Horário: 8:00 Hs
Distância: 10Km (9,91 Km) 

Inscrição: R$ 35,00
Kit: Camiseta, creme para o cabelo, kit de lixa de unha, dilatador nasal, paninho, número de peito e chip descartável. 
Tempo: 45min45s
Pace: 4:38 min/Km

Colocação: 011 de 032 (45-49 anos)
Colocação: 104 de 336 (masculino)
Colocação: 111 de 479 (geral)

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

27/08/2016 - Amazing Runs Garopaba - SC

Foto: Focoradical
Amazing Runs Garopaba /SC

Resultados

Fotos da Corrida FB (by Eduardo Hanada)

Essa foi mais uma grande aventura e uma experiência bem diferente das que normalmente estou acostumado a fazer. Corridas de aventura e em trilhas não são muito o meu forte, mas há alguns meses por indicação do amigo Neemias, e convite e viabilização pelo Arthur da Global Vita, decidi encarar mais esse desafio junto com a Aninha. Agradeço muito aos dois pela oportunidade de ter participado desse grande evento.

A Amazing Runs Garopaba faz parte do circuito "Amazing Runs". O circuito já teve as conhecidas etapas "Amazing Runs Bonito" e "Amazing Runs Ilha do Mel", com o Desafio da Butuca. Agora estreou nesse paraíso, localizado em Garopaba/SC. Teve distâncias e desafios para todos os gostos nos dois dias de evento. No sábado foi realizada a prova de 5,5 Km e 10,5 Km, sendo que os participantes do "Desafio da Baleia Franca", além de correrem os 10,5 Km, tinham que percorrer mais 21 Km na manhã seguinte. O resultado se daria pelo total dos tempos. Era possível também correr isoladamente em qualquer dessas 3 distâncias.

Como Garopaba é pertinho (cerca de 1h15min) fomos eu, a Aninha e Zê Lescano, para lá no primeiro dia. A Aninha iria fazer os 10,5 Km, a Zê os 10,5 Km + 21 Km (Desafio da Baleia Franca), e eu optei pelos 5,5 Km. Assim sofro intensamente, mas por menos tempo. Fomos um pouco mais cedo para dar tempo de retirar o kit, que estava sendo entregue no restaurante Parador, bem ao lado da concentração do evento. O kit continha uma bandana e uma camiseta de manga longa branca para aqueles que fariam as distâncias individuais, e para o Desafio da Baleia Franca tinha ainda uma outra camiseta cinza de manga longa também.

Eu não tinha estudado muito o percurso e altimetria da prova. Como faria somente os 5,5 Km não achava que teria grandes dificuldades. Em provas desse tipo também é difícil traçar um objetivo de tempo, pois os terrenos são totalmente irregulares. Decidi então aproveitar e correr com a GOPRO para poder registrar um pouco do percurso.


A largada no sábado, tanto para os atletas dos 5,5 Km como para os de 10,5 Km, ocorreu às 15 horas. O tempo estava bem agradável, com um solzinho e um ventinho razoável. Bem melhor correr assim. Antes da largada a organização disponibilizou até protetor solar e creme atrito zero para os atletas que necessitassem. Passei um pouco só pra garantir.

Acabei bobeando um pouco na hora de me alinhar para a largada. Fiquei filmando o movimento e só consegui chegar até o pelotão do meio. Normalmente para provas rápidas de 5 Km é importante sair mais a frente para não perder muito tempo na dispersão. Tudo bem, nem foi tanto assim, mas quase me custou uma posição que seria importante no final.

Larguei bem animado pelas ruas de paralelepípedo de Garopaba, ainda plano. Costurando e conseguindo avançar um pouco do bloco intermediário. Até estava me sentindo bem. Isso durou até os 750 metros, quando apareceu a primeira de muitas subidas. No início consegui subir no trote até o fim do 1º Km. Um pouco mais a frente consegui manter um ritmo de corrida entre as ondulações ainda suaves.

Com 1,7 Km percorridos, já super ofegante, eis que surge uma sequência forte de subidas. Até tentei subir em trotezinho, mas logo em seguida desisti e caminhei. O coração parecia sair pela boca. Pensei: não cheguei nem no 2º Km e já estou caminhando. Como assim ?!!! Meu consolo foi ver que a maioria dos outros atletas também se rendiam a caminhada.

Na altura do 2º Km ocorreu a divisão dos atletas das duas distâncias. Os atletas de 10,5 Km seguiram reto e nós dos 5 Km viramos á esquerda. Eu ainda seguia caminhando forçando as panturrilhas. Só que aí outra surpresa, logo após a virada, mais subida. Daquelas que a gente não vê o fim. Nesse ponto deu pra ver ao longe os atletas que seguiam a minha frente e já eram mais de cinco. Desanimou um pouco, mas seguia firme na minha caminhada com tentativas de trotes na subida. Isso durou até os 2,7 Km.
Já estávamos em estrada de terra batida, às vezes bem irregulares. E novamente mais subidas e mais caminhadas. Era um cenário bem interessante dos atletas próximos. Todos sem exceção ora trotavam, ora caminhavam. Nunca tinha feito uma prova com esse nível de dificuldade em uma distância tão curta. Teve um posto de hidratação, mas nem quis perder tempo.

Após 3,3 Km percorridos chegamos então a parte da trilha, e para a minha surpresa foi uma das partes que mais deu pra desenvolver a corrida efetivamente, onde consegui me recuperar um pouco. Foi também a parte mais bonita do percurso com lindas vistas lá de cima. Tivemos sorte pelo lindo dia que fez e a trilha aberta favorecia. Não tive tempo de ficar admirando muito. Menos mal que estava filmando.

A parte de trilha acabou logo após o 4º Km e voltamos aos paralelepípedos. Para mim foi um grande alívio. O próximo quilômetro foi acelerando e com o esforço no limite, conseguindo manter um pace próximo de 4:30 min/Km.


No finalzinho, faltando cerca de 500 metros, corremos pela praia por um uns 300 metros. Ainda bem que nesse ponto a areia estava firme.

Ao sair da praia entrando na reta final ouvi alguém gritando: vai...sprint final !!! Eu não tinha entendido muito, mas pra não chegar feio dei uma acelerada. A poucos metros da chegada ouço a voz do locutor da prova Marcello Goma, narrando a chegada do 5º colocado, e dizendo meu nome !!! Nossa, nem acreditei direito ao passar pelo portal de chegada. Custou para cair a ficha. Após uma prova duríssima, onde me arrastei em várias subidas, fechando os 5,53 Km com o tempo líquido altíssimo de 32min13s, ainda conseguir uma colocação na classificação geral !!! Foi demais !!!

Mais tarde eu vim a entender o grito no final para o "sprint final". O atleta que vinha na 6ª colocação estava colado atrás e chegou a apenas alguns segundos. Foi por muito pouco. E eu nem tinha me dado conta. Só soube que estava em 5º lugar pelo anúncio do locutor.

Após cruzar a linha de chegada recebi a linda medalha que registrava na própria fita a distância percorrida. Bebi um copo de água, um isotônico, recebi o kit lanche com frutas e salgadinhos de cereal, e até uma latinha de cerveja estavam distribuindo. Como caiu bem naquele final de prova.

Percurso dos 5,5Km

Demorei um pouquinho para me recompor desse esforço final. Me troquei, me agasalhei rapidamente, e fui de encontro a Aninha para acompanhá-la no final. Se eu sofri nos 5,5 Km imaginem como não foram os 10,5 Km. Com pouco mais de 1 Km da chegada a avistei em uma ladeira abaixo. Mesmo com as fortes dores nos dois joelhos acumuladas do percurso pesado, viemos juntos e ela conseguiu fechar com sucesso mais essa prova. Foi realmente na superação. Muito orgulho.

Aguardamos a premiação, que ocorreu pouco depois das 17 horas. Já estava friozinho. Confirmado o 5º lugar, fui receber o troféu junto com os outros atletas. Para meu espanto, só gurizada !!! Que prazer subir ao pódio ao lado desses atletas no alto da sua juventude e ainda em uma prova curta. Uma honra mesmo !!!

A nossa participação, minha e da Aninha tinha se encerrado, mas para os outros guerreiros que iriam fazer os 21 Km no dia seguinte era só o começo. Um boa parte de atletas que aceitaram o Desafio da Baleia Franca ainda teriam que enfrentar mais que o dobro da dificuldade do primeiro dia, compensados pela possibilidade de admirar os fantásticos cenários pelo percurso. Quem sabe ano que vem não encaro esse desafio ?!!!

Só tenho a agradecer a organização da prova pela oportunidade de participar da estreia dessa etapa de Garopaba, no circuito Amazing Runs. Prova essa que recomendo para quem é adepto do "quanto pior melhor" e para quem gosta de apreciar e correr por belas paisagens. Tudo muito bem organizado e preparado com carinho para receber os atletas. Mais uma grande experiência. Valeu !!!

Kit da prova 
Eu nos 5,5 Km e a Aninha nos 10,5 Km
 Na chegada com os amigos Arthur, Jósa e Bibi
Lugar paradisíaco
Faltava pouco nesse momento. As subidas já tinham terminado.
Foto: Focoradical
Aninha chegando com uma das vistas mais bonitas do percurso
 Quanta alegria. Tempo líquido: 32min13s
Foto: Alexandre Carvalho (Focoradical)
Fez parte da hidratação
 5º colocado geral nos 5,5 Km. Feliz demais !!!
 Lindo troféu. Bem trabalhado !!!
Medalha destacando a distância na fita 
Certificado com o Resultado Oficial

Local: Praia de Garopaba / SC
Data: 27/08/2016 
Horário: 15:00 Hs 
Distância: 5,5 Km (5,53 Km) 

Inscrição: R$ 130 (1º lote)
Kit: Sacola, camiseta manga longa, bandana, pacote de salgadinho multicereal, número de peito e chip descartável. 

Tempo: 32min13s
Pace: 6:26 min/Km

Colocação: 01 de 05 (categoria 45-54 anos)
Colocação: 05 de 23 (masculino)
Colocação: 06 de 71 (geral)

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

21/08/2016 - 9ª Corrida Volta a Lagoa 2016 - FLN/SC

Foto: Felipe da Cruz (Foco Radical)
 Corrida Volta a Lagoa 2016

Resultado
Fotos da Corrida

Mesmo com todas as condições climáticas adversas no dia, a 9ª corrida Volta a Lagoa (distância de 10,5 Km) teve um aumento de mais de 100 atletas concluintes em relação ao ano de 2015. Foi uma boa surpresa para mim.

Tenho um carinho especial por essa corrida porque é uma das poucas que participei todos os anos desde que comecei a correr em 2009. Além disso tem um belo percurso, interessante e um tanto desafiador.  

Como opções a prova teve a distância de 10,5 Km que podia ser feita individualmente ou em dupla (feminina, masculina ou mista), e a opção de participação de 5 Km. Eu optei pelos 10,5 Km no individual mesmo, como em todas as minhas outras participações. Queria tentar melhorar o meu tempo de 48min32s, obtido no ano passado.

A retirada do kit foi no sábado, véspera da prova, na Loja Centauro do Beiramar Shopping. Consegui não comprar nada na loja dessa vez. Aproveitei o passeio para almoçar com o Gabi e caçar uns Pokemóns diferentes na região da beira mar norte.


No domingo pela manhã cheguei ao local da prova às 7:15. A largada estava prevista para às 8:30. Como tinha chovido bastante durante a madrugada e ainda continuava, imaginei que teria pouca gente, mas já tinha um bom movimento de atletas. Mesmo assim soube de várias pessoas que estavam inscritas e não se arriscaram a ir. Quase fui uma delas. 

Foi até cogitado o cancelamento da prova pelas condições climáticas. Já havia feito provas com condições bem piores. Como não havia relâmpagos acho que foi a melhor opção terem mantido o evento, umas vez uma grande estrutura já estava mobilizada.

A previsão do tempo anunciava chuva para o final de semana e não foi diferente no horário da prova. Até aí não seria tão grande a encrenca. Esse ano já participamos de várias corridas sob chuva. O problema foi o vento forte e o frio que se somaram a essa situação.

Aquela parte boa do evento, de confraternização com os amigos pré e pós-prova ficou um pouco comprometida com a maioria dos atletas se abrigando como era possível. A largada atrasou um pouquinho, mas bem compreensível, ao lado do terminal de ônibus da Lagoa.

Primeiro saíram os atletas dos 10,5 Km, individual e os primeiros das duplas. Em seguida largaram os atletas dos 5 Km. Só lembro que a chuva nesse momento estava fraquinha, mas o vento e o frio estavam congelantes. Larguei sem forçar muito e iria tentar fazer uma prova regular.

O 1º Km com passagem pelo centrinho da Lagoa e até entrarmos na Av. da Rendeiras foi o trecho mais tranquilo e foi o meu melhor pace. Talvez em parte por aquela empolgação inicial também. 

Um pouco mais a frente, logo no início da Av. das Rendeiras viramos a direta e acessamos a SC-406, margeando então a Lagoa da Conceição em uma área totalmente aberta. Esses quase 3 quilômetros que se seguiram foram os mais complicados para mim, com um vento forte batendo contra, além do frio e da chuva. Sabia que estava fazendo mais força que o normal e além disso tive uma sensação de frio que nunca tinha experimentado antes em uma corrida. O 2º Km até consegui manter um ritmo razoável, mas a partir do 3º Km as coisas desandaram. Muita força e pouco rendimento. Na foto do percurso, retirado do site do Garmin, a velocidade do vento registrou 32 Km/h. Sem chances de melhorar o meu melhor tempo nessa prova.

Senti que não era dia. Nível de esforço ao máximo e pace cada vez pior. Pra piorar, durante o 5º Km, enquanto passava junto ao amigo Pertino, ele me alertou que o meu chip estava solto, tinha perdido a cola. Por muito pouco não fiquei sem. Fiz uma paradinha rápida para retirá-lo e levá-lo na mão. A partir de agora, quando o chip for fechado por adesivo vou colocar sempre um alfinete para prendê-lo e garantir que não solte. Já vi esse problema em outras provas também. 

            Garmin - 9ª Corrida Volta a Lagoa 2016             

Um pouco antes de chegar ao morro do Badejo, no 6º Km, passamos pelo ponto de troca do revezamento das duplas, que não foi exatamente na metade da prova, deixando para o primeiro atleta um percurso maior. Lembro de ter visto os amigos, Guilherme aguardando a chegada do Enio, e o Juarez também aguardando a chegada da sua dupla.

Cheguei então ao temido morro e muito mal das pernas e sem fôlego. No trecho de subida com aproximadamente 400 metros por dois momentos caminhei. Não teve jeito. Isso levou o meu pace lá pra cima, perto dos 6 min/Km. O bom é que depois vem a descida e dá pra compensar um pouco dessa perda.

Os dois últimos quilômetros fui literalmente me arrastando não vendo a hora de terminar. Já estava me sentindo com fraqueza por causa do frio e tremendo, situação estranha e não muito comum pra mim. Só conseguia pensar que na chegada eu teria que passar o chip próximo do chão. Não poderia esquecer.

Avistando a chegada ao longe dei uma aceleradinha. Olhei o fotógrafo, passei pelo portal e ergui os braços pra comemorar a conclusão de mais uma corrida Volta a Lagoa. O Jacks veio e me fez a entrega da medalha. Fui então tomar um copo de água e comer uma banana. Aí lembrei de uma coisa importante, passei com o chip na mão !!! Isso porque vim pensando nisso durante toda a parte final do percurso. Bom, paciência !!!

Posteriormente, para a minha alegria, o chip registrou certinho, mesmo tendo passado com ele nas mão e com os braços erguidos. Bom esse leitor e essa antena !!! Meu tempo líquido ficou em 52min01s, cerca de 3min30s acima do tempo do ano passado. Não sei precisar o quanto as condições do dia afetaram o meu rendimento, mas senti que não era o dia e cheguei com dores musculares nas pernas, equivalentes a de ter feito uma meia maratona. 

Não fiquei muito na área de chegada e nem consegui ir a tenda dos amigos da Elementos Massoterapia, que faziam aquela massagem recuperadora. Fui tremendo de frio direto para o carro me trocar e de lá não saí mais. Nem a premiação consegui assistir. Estava muito fraco e precisei me aquecer.

Após me recuperar fomos a parte boa, o café da manhã pós prova, com os amigos Renato Ventura e Enio Augusto, e com direito a assistir o final da maratona masculina olímpica. Aquele café da manhã caprichado e sem culpa !!! Muitos ovos mexidos e bacon !!!

Percurso Volta à Lagoa 2016 - 10,69 Km

Pessoal animado para a corrida #sqn. Nilton, Renato e Enio.
Margeando a Lagoa da Conceição com um baita vento frio contra.
Foto: Felipe da Cruz - Foco Radical
Montagem legal do amigo fotógrafo Alexandre Santiago. Renato, Ana Kátia e Ana Clara.
Foto: Alexandre Santiago - Foco Radical
Segurando bem o chip para não perder
Foto: Alexandre Santiago - Foco Radical

Minha chegada com o chip na mão. E não é que registrou !!!
Foto: Foco Radical 
Medalha da  9ª Corrida Volta a Lagoa 2016 
Foto: Por Falar em Corrida

Local: Ao lado do terminal de ônibus da Lagoa da Conceição - FLN/SC
Data: 21/08/2016 
Horário: 08:30 Hs (08:43 Hs) 
Distância: 10Km (10,69 Km) 

Inscrição: R$ 70,00 (Primeiro lote)
Kit: Camiseta, cappuccino em caixinha, pacotinho de granola e de suco em pó número de peito e chip descartável.    

Tempo: 52min01s
Pace: 4:52 min/Km

Colocação: 011 de 031 (45-49 anos)
Colocação: 099 de 289 (masculino)
Colocação: 108 de 423 (geral)