quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

21/12/2014 - 3ª Corrida do Natal dos Perebas - FLN/SC

3ª Corrida do Natal dos Perebas - FLN/SC
Resultado
Fotos da Corrida FB (by Eduardo Hanada)
Fotos da Corrida FB (by Andréia Gomes Menezes)

Após ter me segurado e abortado a participação na 1ª Corrida Noturna de Palhoça na noite anterior tentei voltar a correr depois de 8 dias parado, me preservando para recuperar de uma dor na panturrilha da perna esquerda.

O dolorido ainda continuava, mas como o objetivo era correr em ritmo tranquilo, vestido de Papai Noel e distribuindo balas, estava decidido a arriscar para ver como a perna se comportaria, pois a São Silvestre está próxima e não podia perder muito o condicionamento

O dia estava quente e tudo indicava que seria mais uma daquelas provas de derreter, ainda mais com aquela roupa de Papai Noel. Quando cheguei no local do evento já tinha uma boa turma devidamente caracterizada com roupas natalinas. Estava bonito de se ver. Fui então fazer a minha inscrição.

Porém, de repente começou a desabar um forte temporal. Todos foram obrigados a se abrigar. Era uma chuva que não deveria demorar muito, mas foi o suficiente para dar um trabalho na estrutura do evento. Aos poucos ela foi reduzindo e a largada foi anunciada.

Eu ia acompanhar a minha amiga Lisandra para darmos uma treinada nos morros do Abraão como preparação para a São Silvestre. Com a chuva toda, tive que deixar tudo na largada: câmera fotográfica, sino, barba, touca, óculos, e o saco de balas para distribuir para as crianças. Estava tudo molhado e quando saímos ainda chovia.

Só conseguimos largar depois de todos já terem ido, ainda com os números de peito por colocar. Fomos nos arrumando no percurso. Aos poucos a chuva foi passando. O ritmo era bem de leve, pois não queria que as dores piorassem e seguia com bastante cautela.

Aproveitei para curtir o percurso, ainda tentando me arrumar com a roupa que tinha ficado encharcada. A chuva já tinha passado depois de uns 2 Km de prova e as condições ficaram até boas para correr.

A Lisandra, só ia contando os morros. Eu já havia adiantado que seriam 8 no total, sendo 4 na ida e 4 na volta, sendo que o último era o pior. Ela foi resistindo e vencendo bem quase todos eles. Como no domingo uma das pistas fica fechada para os ciclistas ficou bem mais seguro correr por ela. Mas era somente até as 17 horas.

O retorno como sempre foi na lombada eletrônica da Av. Eng. Max de Souza com aproximadamente 2,9 Km. Agora era só fazer o caminho inverso. Mas só que um pouco mais cansado. As dores na perna praticamente haviam sumido, pois havia aquecido. Isso era um bom sinal.


Voltamos bem tranquilos. Deu até pra ir tirando algumas fotos durante o percurso. Ás vezes é bom correr sem estar naquele ritmo "no limite". Dá pra ir observando e curtindo bem a paisagem por onde passamos.

Seguimos correndo até a última subida que é a pior de todo o percurso. Caminhamos um pouco pra recuperar o fôlego, e logo retornamos ao ritmo normal. Eu só controlando pra ver se não sentia dores na perna. 

Completamos a prova com pouco mais de 40 minutos, bem de boa. E eu estava feliz por ter voltado a correr depois de alguns dias totalmente parado. Sentia um pouco do dolorido ainda, mas não pareceu nada grave.

Dei uma boa hidratada, fui trocar a roupa que estava toda encharcada e depois fiquei conversando com os amigos, enquanto aguardávamos a premiação. Ainda bem que a chuva já havia parado totalmente. 

Nessa corrida quem vai chegando escolhe o seu troféu. Quem chega primeiro pode escolher os melhores. Depois de todos terminarem a prova começaram as chamadas para o pódio. Fiquei muito contente quando chamaram a Lisandra como vencedora da categoria. Só de pensar que quase nem largamos por causa da chuva. Por isso devemos acreditar sempre.

Logo depois da premiação teve a tradicional foto com todos os Papais Noéis para encerrar mais um ano de corridas com os amigos na grande Florianópolis.


Ainda caracterizado quando cheguei, com D. Toshie, Andréia e a Lia
Vamos Lisandra, respirando fundo
Alguns indo e outros voltando, pelas ruas de Coqueiros

Um pouco antes da premiação (vídeo)
A categoria mais disputada - 40 a 44 anos (minha última nessa categoria)
Com o organizador da prova, Analto Romalino e os amigos Loucos por Corridas

Local: Em frente a casa do Analto - Abraão - FLN/SC
Data: 21/12/2014 
Horário: 16:30 Hs
Distância: 6 Km (5,720 Km) 

Inscrição: R$ 10,00
Kit: Número de peito 
Tempo: 40min43s
Pace: 7:14 min/Km

Colocação: 09 de 10 (40-44 anos)
Colocação: 55 de 61 (masculino)
Colocação: 67 de 80 (geral)

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

24/12/2014 - POSTAGENS DE NATAL

Aproveito a oportunidade para desejar a todos os amigos e familiares um Feliz Natal, Boas Festas e um Feliz Ano Novo, com muita alegria, energia, paz, e principalmente muita saúde.














segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

20/12/2014 - 1ª Corrida Noturna de Palhoça / SC

1ª Corrida Noturna de Palhoça / SC
Estava inscrito para essa corrida e bem animado em participar dessa primeira edição. 

Infelizmente por ter abusado na última corrida no final de semana passado a dor na panturrilha esquerda não passou. E temendo que ela se agravasse, pensando na São Silvestre, optei em não participar dessa prova. Com isso só fiquei nas fotos e vídeo, curtindo a companhia dos amigos.

Foram cerca de 170 atletas participando com um cenário bem bonito e com a iluminação de Natal.

Grandes amigos das corridas
Não corremos mas marcamos presença. (com Marlei e Ernani)
Cenário com a iluminação de Natal.
Troféu até o 5º colocado na categoria

Local: Praça 7 de Setembro - Palhoça / SC
Data: 20/12/2014 
Horário: 20:00 Hs 
Distância: 5Km (4,7Km)

Inscrição: Cortesia (Preço R$ 35,00)
Kit: Número do peito


quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

13/12/2014 - Maratona de Revezamento de Balneário Camboriú / SC

Maratona de Revezamento de Balneário Camboriú
Sem dúvida essa será uma das minhas provas inesquecíveis. Com ela fechei a temporada de maratonas de 2014. Tinha como dupla do revezamento a grande parceira Kelly Franzoni, em uma excelente fase. Havíamos programado a nossa participação com antecedência de uns 3 meses. Era uma oportunidade legal, pois gostamos de corridas longas e curtas, e essa é uma mistura dos dois. Além de ser realizada em um lugar bem convidativo, Balneário Camboriú.

Eu vinha de provas longas e pesadas. Imaginava que seria mais tranquilo revezar a maratona e fazer somente a metade, cerca de 21 Km. Porém, acho que acabei abusando no último treino em que fiz tiros de 2Km. Isso foi na quinta-feira antes da prova que seria no sábado. Já no desaquecimento senti a panturrilha, justo na última passada. Achei que fosse algo passageiro, um mal jeito, e logo passaria com gelo, gelol e advil.

No dia da prova já me sentia bem melhor e achei que daria pra correr normalmente. Não havia feito mais trote algum com medo de forçar. Fui para Balneário Camboriú no comecinho da tarde de sábado. E já dava pra perceber o calor que iríamos enfrentar.

Por tratar-se de uma maratona de revezamento só havia modalidades: duplas, quartetos ou octetos, e nas categorias femininas, masculinas ou mistas. Eu e a Kelly fizemos uma dupla mista e aqui da grande Florianópolis também estava um quarteto misto formado pelo Diogo, Paulo, Éric e a Doroteia. Quarteto fortíssimo.

Cheguei na arena da prova quase às 16 horas, bem em cima da hora pra retirar o kit. Alias, bem atrasado. Fui o último e já estavam encerrando a entrega. Com o kit retirado e aguardando a chegada da Kelly fui então dar uma aquecidinha. Eu começaria o revezamento com a 1ª volta do total de 8 que faríamos.

Nessa hora um enorme sentimento de frustração tomou conta de mim. Ao dar as primeiras passadas de aquecimento logo senti a panturrilha esquerda. Ela doía muito no movimento de esticar ao dar a passada. Fiquei mais que preocupado com a minha parceira de prova. E agora, o que fazer ? Meses de expectativa !!!

Com certeza não correria fazendo o meu melhor e do jeito que estava dificilmente conseguiria terminar as minhas 4 voltas de mais de 5 Km cada. Optei por tentar correr até onde fosse possível na esperança de que um pouco mais aquecido a dor fosse minimizando.

Com uma forte chuva, a largada acabou atrasando uns 15 minutos. Para mim quanto mais tarde melhor por causa do sol e do forte calor. Acredito que na largada logo após cessar a chuva a temperatura estava perto dos 30 ºC e abriu sol.

O percurso era todo plano, saindo em frente ao Parque Unipraias e seguindo em sentido centro pela Av. Atlântica, por aproximadamente 2,5 Km, e retornava. A via estava fechada parcialmente com uma faixa liberada para o trânsito de veículos. 

Chegou a hora. E lá fui eu todo receoso depois de aplicar muito Calminex e tomar Advil para tentar conter a dor. Dada a largada, ao contrário da maioria que saiu em disparada, eu fui mais tranquilo para sentir como estaria. Saí mais devagar para aquecer aos poucos e ver se a dor diminuía. Entretanto logo nos metros iniciais ela já se manifestou. Não teve jeito, segui mancando mesmo, tentando aos poucos acertar uma passada que não se acentuasse. As passadas tiveram que ser bem mais curtas.

Essa foi a volta mais quente e abafada de todas. Durante os 2 primeiros quilômetros meu sentimento era de que seria impossível terminar as 4 voltas. Decidi, então seguir até onde fosse possível sem pensar muito no que ainda estava por vir. Aos poucos fui conseguindo encaixar um ritmo razoável para as condições. No retorno contei aproximadamente 44 equipes na minha frente. Situação complicada. Após retornar, acho que já acostumado com a dor as passadas foram melhorando um pouco, mas devido ao forte calor ainda estava difícil aumentar o ritmo. Terminei a 1ª volta totalmente encharcado de suor e entreguei o bastão para a minha parceira, com o tempo de 23min34s.

Agora teria pouco mais de 20 minutos para descansar e me recuperar até a chegada da Kelly. Eu não podia deixar esfriar muito as pernas para que a dor não voltasse mais forte e fiquei caminhando de um lado para o outro. A Kelly não demorou muito e veio voando fechando a nossa 2ª volta com o tempo que seria a nossa melhor, 21min58s. Com certeza ela passou muita gente. Lá fui eu para 3ª volta.

Sabia que a minha parceira tinha feito um esforço enorme e não queria colocar tudo a perder. Saí novamente mancando muito até conseguir entrar no ritmo. Ouvi até alguém comentando do lado de fora enquanto passava: "Não vai dar !!!". Acabou sendo mais uma injeção de ânimo para mim. Pra facilitar um pouco mais as coisas começou a cair um temporal, deixando muitos trechos da pista alagados. No final até achei bom, pois refrescou um pouco e acabou sendo uma das minhas voltas mais regular. Não lembro de ter tido muita variação de posições. Volta fechada em 23min28s.

Lá foi a minha parceira para a 4ª volta. Enquanto me recuperava aproveitei para tomar um gel de carboidrato. Deu pra respirar um pouco, me hidratar bem, e enquanto aguardava a chegada da Kelly tentei contar as duplas mistas a nossa frente, mas já estava complicado pelas diversas modalidades de revezamento. Devíamos estar algo entre o 3º ou 4º lugar. Novamente a Kelly chegou voando fazendo a nossa 2ª melhor volta com o tempo de 22min54s. Deve ter passado mais alguns.


Agora para mim era questão de honra ir até o final. Não estávamos tão mal assim. Queria pelo menos manter a posição para a minha parceira. Com a temperatura mais amena o ritmo ficou praticamente constante e consegui manter a regularidade das voltas anteriores com 23min30s. Praticamente também sem grandes alterações de posicionamento na nossa 5ª volta.

Bastão entregue e lá foi a Kelly para abrir a 6ª volta. A essa altura as dores já estavam sendo generalizadas nas pernas pelo esforço e tive que tomar um outro advil para a última volta. Tentei contar novamente as duplas mistas e de novo fiquei na dúvida entre 3º ou 4º lugar. Logo ela chegou, me passou o bastão e fui para a minha última volta.

Agora eu acabaria nem que fosse rolando. Nessa volta tudo parecia muito mais travado, tudo mais duro e o esforço só aumentando. Chegando próximo do retorno para o meu último trecho passou por mim um atleta que estava com numeração de dupla e foi embora. Não tinha forças para acompanhá-lo. Aí desanimei um pouco, mas segui dando o meu máximo. Ao me aproximar do posto de troca senti um alívio do tamanho de um elefante. Entreguei o bastão para a Kelly, fechando a nossa 7ª volta e conseguindo concluir a minha participação. Foi a minha volta mais alta, mas até que foi razoável por ser a última, 24min03s. 

Só faltava a grande parceira também completar a sua volta final para fecharmos. Nem deu pra gente se comunicar durante a prova, só na passagem do bastão que saía uma ou duas palavras, mas no fundo sabia do seu empenho e esforço. Foi uma alegria imensa quando a vi chegando ao fundo. As minhas pernas que mal conseguiam dar um passo sequer aguentaram mais um trotezinho final e pudemos cruzar juntos a linha de chegada. Ufa, que emoção !!! Missão cumprida. Tempo líquido: 3h09min07s. 

Alegria maior foi quando a Fabíolle, amiga da Kelly, veio nos avisar que tínhamos chegado em 3º lugar na dupla mista, confirmado em seguida com a cronometragem. Nossa, eu nem estava acreditando. Acho que foi um dos mais significativos resultados desde que comecei a correr, valorizado ainda mais pela circunstâncias. Subir ao pódio nessa oportunidade foi algo totalmente diferente e com um significado muito especial, coroado com um lindo troféu e uma linda medalha. Por isso sempre penso, temos que acreditar sempre !!!

Sou muito grato a minha parceira, Kelly, pela empenho e compreensão. Correu muito e fez toda a diferença nessa prova. Muito obrigado, Kelly !!! Foi demais.

Na minha reflexão final, não sei se foi certo (sei que não foi !!!) eu correr na situação em que me encontrava, mas posso dizer que valeu muito a pena. Era o meu último grande desafio do ano e compensou o esforço final.

Kit diferente. Com suplementose protetor solar
                                 Cenário do local da largada e troca do revezamento
Começando na 1ª volta
Chegando para a passagem do bastão para a Kelly
Nossa chegada 
Grande parceira, Kelly
Como valeu a pena. Lindo troféu e linda medalha

Local: Parque Unipraias - Balneário Camboriú/SC
Data: 13/12/2014 
Horário: 17:00 Hs 
Distância: 42,195 Km (40,280 Km) 

Inscrição: R$ 85,00 cada um
Kit: Sacola, camiseta, suplementos Creatine way (100g) e L-Carnitine Fire (480 ml), protetor solar (amostra), número de peito, e chip em bastão.  

Tempo: 3h09min07s
Pace: 4:42 min/Km

Colocação: 03 de 09 (dupla mista)
Colocação: 25 de 76 (geral)

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

07/12/2014 - Beach & Mountain Challenge - Corrida 7 Km

Beach & Mountain Challenge - Corrida 7 Km - FLN/SC
 
Resultado
Fotos da Corrida (by Eduardo Hanada)
Fotos da Corrida (by Sabine Weiler)
Fotos da Corrida (by Beach & Moutain Challenge) 

Beach & Moutain Challenge chegou com uma proposta nova de evento multiesportivo, reunindo em um só dia competições de corridas, natação, stand up paddle e aquathlon. O local escolhido para essa 1ª foi a praia do Pântano do Sul, em Florianópolis.

Normalmente não é da minha preferência esse tipo de prova, que percorre trechos de asfalto, chão batido, trilhas e praias, mas como bom curioso que sou fui experimentar, conseguindo a inscrição com uma amiga. Na modalidade de corridas havia a distância de 7 Km e a de 21 Km, que passaria pelo temido “morro maldito”, tanto na ida como na volta. Após muita análise acabei optando pela distância de 7 Km, sem o “morro maldito”.

A expectativa era grande para essa prova. Muita divulgação na imprensa e nas redes sociais. Todos amantes das aventuras bastante ansiosos.

No dia da prova, como não conhecia bem o local cheguei cedinho. Consegui um lugar privilegiado para estacionar o carro, em uma ruazinha próxima que dava acesso a praia, onde estava montada toda a arena do evento.

Aos poucos muitos amigos foram chegando e movimentando todo o ambiente. Muita gente animada e com total disposição para enfrentar o desafio. Inicialmente a largada das corridas seria às 8 horas, depois do stand up paddle e as outras modalidades no período da tarde.

Um detalhe que achei inconveniente foi a disponbilização da água para hidratação no local da largada/chegada, necessitando de copos que foram distribuídos no kit de participação do evento. O detalhe é que os carros (pra quem foi de carro) ficavam longes e não havia “guarda volumes” oficial do evento. Ou seja, quem não tinha conhecidos para segurar os pertences ficava em uma situação complicada.

A largada atrasou mais de 40 minutos do previsto e ocorreu depois das 8:40. Como estava esquentando a medida que o horário avançava muitos atletas que fizeram a prova de 21 Km sofreram um pouco mais, pois a duração da prova girava em torno de 2 horas. Eu particulamente não tive problemas, pois a prova de 7 Km é mais curta e mais rápida.

Não tinha bem a estratégia para essa prova, pois não tinha referencial algum. Então, era correr o melhor possível nos trechos planos e tentar não caminhar nos morros.

Primeiramente largaram os PNE, dois minutos depois o pessoal dos 7 Km, inclusive eu, e momentos depois os atletas dos 21 Km. Isso foi legal, pois com essa diferença não houve problemas na dispersão, ficando mais livre pra correr na ampla faixa de areia da praia no primeiro trecho, que durou pouco mais de 300m.

Larguei pensando em manter um pace próximo de 4:30 na parte plana, e foi mais ou menos o que fiz até o 3º Km, enquanto estávamos correndo no asfalto. Confesso que o calor já estava me incomodando logo de início. Cheguei já praticamente sem fôlego na parte mais crítica, o morro com a maior subida do percurso de 7 Km.

Desacelerei e tentei subir trotando devagar, mas no meio da subida já com o coração saindo pela boca tive que praticamente parar e seguir caminhando. Já quase no topo do morro (Km 3,8) comecei a trotar novamente e tentei recuperar um pouco na descida que veio a seguir, mas a descida tinha que ser meio freada.

Percorremos mais uns 500 metros e chegamos na praia para voltar. Corremos mais uns 500 metros pela areia e acessamos um trecho de trilhas, subindo por umas pedras. Isso na altura do 5º Km. Foram pouco mais de 250 m, mas também tive que caminhar um pouco para subir.

Após a descida chegamos a praia novamente. Agora era só terminar os pouco mais de 2 Km que faltavam. Pra complicar o vento estava contra e dificultava a retomada do ritmo. Pelo menos era razoavelmente plano.

Não tive problemas com hidratação, pois a minha prova por ser mais curta tivemos água a vontade e gelada. Porém, alguns atletas que fizeram os 21 Km relataram que no finalizinho já não havia mais água e até tiveram que improvisar com a água derretida do gelo, tamanho era a sede no calor que estava fazendo. Ainda no percurso lembrei que na arena da chegada deveria ter copo para a hidratação e, não joguei o meu último fora, levando comigo pra garantir.

Nesse trecho ainda recuperei algumas poucas posições. Pena que eu tinha forçado muito nas subidas. Analisando o garmin percebi depois que após iniciar a subida do primeiro morro corri praticamente todo o restante da prova com o batimento cardíaco superior ao meu máximo, que deveria ser 183 bpm. Foi bem puxadinho. Mas no final valeu a pena.

Completei o percurso com o tempo líquido de 37min01s, segundo a marcação do chip. E conforme o garmin a distância foi de 7,5 Km ao invés dos 7 Km. Dei uma recuperada, me hidratei, comi umas bananas, me troquei e fui pegar a câmera fotográfica pra registrar a chegada dos amigos que estavam fazendo os 21 Km. Todos concluindo bem exaustos, mas felizes por terem vencido o “morro maldito”.

Após a chegada de praticamente todos os atletas teve início a premiação geral e por categoria de faixa etária para os 3 primeiros colocados para a distância de 7 Km. Fiquei muito feliz e um pouco surpreso quando vi o meu nome na 3ª colocação dos 11 atletas da categoria. O esforço valeu a pena, e ainda fiquei a apenas 6 segundos do 2º colocado. 
 
As amigas e jornalistas que correm, Sabine Weiler do programa SC no ar da RIC TV e Helena Vidal do Blog Correndodebemcomavida também correram muito bem e fizeram bons tempos. A Helena inclusive já tinha ido embora e para a sua surpresa teve que voltar para receber o troféu de 2º lugar na categoria. A Sabine depois ainda produziu lindas fotos registrando os bons momentos do evento. Estão de parabéns, meninas.

Após o término da premiação da prova de 7 Km ainda aguardei um pouco a premiação dos 21 Km, mas demorou muito e como estava com sono, cansado e o sol não dava trégua acabei indo embora. Pena que não pude prestigiar e fotografar os amigos.
 
As outras provas do evento seguiram na manhã e no período da tarde.


 Com a galera do Projeto Sexto Sentido (by Sabine Weiler)
  Simone, Laura, eu, Nilton, Helena e Aninha (by Lia Lopes)
   No meio das belas e feras das corridas

Chegando pela praia e com vento contra
  Registrando a premiação dos amigos. Obrigado Sabine Weiler
Registrando a premiação dos amigos por outro ângulo. Valeu, Marcos !!!
 Contente com o troféu de  lugar na categoria 40-44 anos

Local: Praia do Pântano do Sul - FLN/SC
Data: 07/12/2014 
Horário: 8:00 Hs (8:42 Hs)
Distância: 7 Km (7,52 Km) 

Inscrição: cortesia (Preço R$ 120,00 + 2 Kg de alimento não perecível)
Kit: Sacola, Camiseta, viseira, copo para o evento, número de peito e chip descartável. 
Tempo: 37min04s
Pace: 4:56 min/Km

Colocação: 03 de 011 (40-44 anos)
Colocação: 22 de 092 (masculino)
Colocação: 24 de 170 (geral)

sábado, 6 de dezembro de 2014

30/11/2014 - Final Estadual do Circuito SESC de Caminhadas e Corridas - FLN/SC

Final Estadual do Circuito SESC de Caminhadas e Corridas - FLN/SC
Esse ano novamente a final estadual do Circuito SESC ocorreu no domingo que sucedeu a corrida Vale das Graças, em Angelina. Por isso tive que optar por participar da distância de 5 Km ao invés dos 10 Km. Ficaria muito pesado uma outra prova de 10 Km em pouco mais de 12 horas de diferença.

Na verdade o que eu gostaria mesmo era tentar bater o meu recorde pessoal na distância. Normalmente as condições são favoráveis para isso, com percurso plano e reto. Só dependendo das condições climáticas. Porém, tinha consciência de que não tinha mais treinado velocidade desde a preparação para a maratona, ha cerca de 3 meses.

Essa prova é bem disputada, pois reúne os principais vencedores das etapas do circuito SESC realizadas por todo o estado de Santa Catarina durante o ano, ou seja, o nível da prova é bem forte. A arena do evento é uma das melhores de estrutura por aqui, com várias tendas com serviços de massagens, medições, dicas de nutrição, fotos, entre outros.

Como cheguei cedinho e ainda estava sem filas aproveitei para fazer uma massagem, que aliás, caiu muito bem para dar uma boa relaxada. Segundo a massoterapeuta eu estou com vários nozinhos na lombar. Deve ser mesmo. Foi bom enquanto durou, mas ao final já estava bem perto do horário da largada. Guardei as minhas coisas rapidamente e fui me alinhar para a largada, aproximadamente às 7:30.

Eu queria largar mais a frente, pois a prova de 5 Km é rápida e é melhor não perder muito tempo com o congestionamento inicial. Tinha analisado os meus paces do ano passado e observei que o meu 1º Km tinha sido muito rápido e depois complicou para sustentar o ritmo. Esse ano pretendia sair com um pouco mais de calma.

A largada dos 5 Km e dos 10 Km foram juntas, saindo da tradicional ponta da beira mar continental. O pessoal da frente disparou com tudo e eu até que consegui me segurar e não ir no embalo da maioria. Apesar de ser forte para mim, o pace (4:17 min/Km) ficou bom e era por aí que eu queria manter. Estava sentindo um pouco abafado.

No 2º Km mantive o meu ritmo e estava me sentindo bem, seguindo no sentido da ponte Hercílio Luz, onde faria o retorno no Km 2,5. A essa altura já estava recuperando boa parte das posições perdidas no início da prova. Após o retorno, até completar o 3º Km o pace seguia estável,com muito esforço.

Mas o que era doce se acabou.O vento contra acabou com a minha alegria e complicou o meu final de prova, quebrando totalmente o rimo no 4º Km. Foram praticamente 20 segundos a mais nesse quilômetro. Muito esforço e pouco rendimento. E assim foi até o final da prova. Chegando quase morrendo.

O tempo líquido ficou em 21min39s, que seria muito bom se o percurso tivesse dado os 5 Km, mas deu por volta de 4,94 Km pelo meu garmin. Menos mal, pois pelo ritmo dificilmente iria bater meu recorde pessoal de 21min25s. Acho que se o vento contra não estivesse tão forte daria uma boa briga.

No resultado final do masculino uma curiosidade. O Paraíba que venceu a corrida de Angelina nos 10 Km na tarde anterior, venceu a prova de 5 Km do SESC. E o Ricardinho que venceu a prova de 5 Km de Angelina, venceu a prova de 10 Km do SESC. 

Depois, fui descansar um pouco, tirar umas fotos dos amigos que terminavam os 10 Km, aproveitar um pouco da estrutura de serviços nas tendas e assistir a premiação. No finalzinho o Clécio e a Andréia vieram me avisar que eu estava na capa do boletim do SESC-SC do mês de Novembro. Era da corrida do ano passado. Bem legal. Valeu !!!

Cada vez mais gosto dessa prova.

 Cedinho, com sol e vento forte 
Várias tendas de serviços 
 Depois da largada com o Jeffrey (by Laura Generini)
 Agora na reta final (by Laura Generini)
 Com as feras: Iolanda, Viviane e Paraíba
 Estavam quase todos em Angelina também
Capa do boletim do SESC de Novembro (by Andréia Gomes Menezes)

Local: Beira mar Continental do Estreito - FLN/SC
Data: 30/11/2014 
Horário: 07:30 Hs 
Distância: 5Km (4,94 Km) 

Inscrição: R$ 20
Kit: Sacolinha tipo mochila (bem legal), Camiseta, número de peito e chip descartável. 
Tempo: 21min39s
Pace: 4:23 min/Km

Colocação: 09 de 047 (40-44 anos)
Colocação: 45 de 244 (masculino)
Colocação: 46 de 437 (geral)