quinta-feira, 28 de julho de 2016

24/07/2016 - Meia Maratona Caixa de Brusque 2016

(Foto: Fabrício Jachowicz - Focoradical)
Meia Maratona Caixa de Brusque 2016


Ano passado não pude participar da meia maratona de Brusque, mas esse ano resolvi colocá-la no calendário novamente como parte final de um treinamento final para a Asics Marathon City, em São Paulo, na qual pretendo fazer os 42 Km no próximo fim de semana. Como não tive muito tempo para a preparação fui para essa prova após um treino longo de 33 Km, realizado 3 dias antes.


Sei que não é o ideal e que não chegaria 100% para a meia, mas mesmo assim eu tinha intenções de tentar baixar o tempo de 2014, de 1h39min51s. Ainda que encarando essa meia como um treino gosto de ir para as provas com um objetivo. 

A entrega dos kits completos foi feita na véspera (sábado). A organização deixava como opção a retirada do kit no dia da corrida, mas somente o chip descartável e o número do peito. Nós gostamos de receber o kit inteiro (com camiseta e outros brindes), e pudemos contar com a ajuda do amigo Fausto Egídio da Confraria das Corridas para retirá-los, o meu e da Aninha. Particularmente ainda acho que poderia ser entregue o kit integral no dia também para os atletas que vem de outros municípios.

Fomos para a Brusque de madrugada, horas antes da prova, com expectativa de estarmos por lá às 7 horas (uma hora antes da largada). A chegada na Arena Brusque foi meio preocupante. Os acessos principais todos fechados, e pior, sem sinalizações alguma. Estava tendo a "Festa dos colonos" na cidade junto ao local da largada. Tentei dar uma volta, mas as ruas estavam todas interditadas. Encontramos outros atletas perdidos também e no final conseguimos deixar o carro ao lado da rodoviária e acessar a arena pela Av. Beira Rio. Início bem agitado.

Pegamos o kit com o Fausto que já estava por lá, encontramos alguns amigos rapidamente, e fomos levar os pertences no guarda-volume, pois já estava quase na hora da largada. Tudo muito corrido. Encontrei a amiga do Instagram Kátia Fonseca de São Paulo, que veio passear e fazer a sua 40ª Meia maratona. Ela tem um blog, Web Corrida, e também fez o relato da prova e da sua viagem. Foi um prazer conhecê-la pessoalmente. 

Além dos 21 Km a prova tinha como alternativa as distâncias de 5 Km e 10 Km. Os 10 Km era feito em uma volta e os 21 Km em duas voltas com mais um trechinho. Como tinha premiação em dinheiro o nível dos atletas também foi elevado. 

O tempo estava firme, apesar de fresquinho, com condições boas para se correr. Enquanto colocávamos o chip um fato curioso que notamos foi a cola fraca que se desprendia facilmente. Tivemos que usar um alfinete para garantir a fixação do chip ao tênis. Problema resolvido, fui me alinhar para a largada e já estava cheio. Fiquei um pouco mais atrás. 

A largada ocorreu perto das 8 horas inicialmente para os atletas dos 10 Km e 21 Km e, em seguida, os de 5 Km. Eu iria tentar rodar a meia maratona com pace médio próximo de 4:40 min/Km, mas tinha consciência que o final seria complicado.

Como sempre, o início da prova acaba sendo um pouco mais forte e deu pra ficar dentro do esperado durante os 3 primeiros quilômetros. No 4º Km, já acessando as ruas centrais de Brusque, o ritmo deu uma quebrada. Tinha uma subidinha e pra piorar com ruas de paralelepípedos. Sorte que é um trecho curto.

O trânsito de veículos pelo centro de Brusque era controlado. O detalhe dessa parte central é que eram muitas viradas pelas ruas, alternâncias de subidas e descidas. Não eram extensas, mas dava uma quebradinha no ritmo.

Passada essa parte central o percurso ficou mais plano e mais reto, possibilitando manter uma regularidade no pace. Pegamos uma reta longa, cruzamos uma ponte e acessamos novamente a Av. Beira Rio. Nesse trecho eu ainda estava bem e ainda pensava em um tempo abaixo de 1h40min. Quando passei por um posto de hidratação tive o prazer de receber o copo de água do amigo Egomar, que dessa vez estava de staff da prova e fez até um registro da minha passagem. Muito obrigado, Egomar.  

Na altura do 8º Km porém, havia uma saída da Av. Beira Rio com quase 1 Km entre ida e volta. Iniciava com uma subidinha, o suficiente para dar uma boa quebrada no nosso psicológico, depois de uma sequência de retas e planos. Para os atletas que estavam fazendo 10 Km, como a Aninha, só tinha mais um pouco de reta e terminava.


Juro que enquanto passava por ali assistindo alguns atletas concluindo os 10 Km deu vontade de ficar, mas ainda estava em um ritmo aceitável com alguns parceiros de pace na mesma tocada. Era hora de tomar o meu gel de carboidrato, mas não me deu vontade, e acabei optando por não forçar.  

A partir do 12º Km, onde acessamos uma pista de terra por cerca de 1 Km o meu gás foi acabando. Trechinho chatinho pra correr. Pra piorar dei uma tropeçada quase indo de cara pro chão. Senti um pouco o forte tranco. Felizmente deu pra continuar. Tentei retomar então o ritmo em seguida nos trechos mais planos, mas não consegui mais.

No 15º Km novamente passávamos pela pior subidinha, só que agora com as pernas bem mais cansadas. Não deu pra subir forte e o pace foi pra 5:14 min/Km, além de sofrer várias ultrapassagens. Estava praticamente dando adeus ao meu objetivo. Eram 30 segundos perdidos importantes no tempo final.  

Passado o pior momento da prova, depois o percurso facilitou um pouco. No plano consegui segurar um ritmo melhor e recuperar algumas das posições. Isso foi até boa parte da Av. Beira Rio, quando chegou novamente a saída com subidinha. A essa altura eu estava na base do sacrifício com dores nas pernas e coração saindo pela boca. Além disso, ver os amigos já voltando enquanto estávamos indo desanimava mais ainda.  

Retornando a Av. Beira Rio, faltavam uns 700 metros para acabar. Dei uma olhadinha no Garmin e vi algo em torno 1h36min. Até deu uma animada. Será que dava ? Duro que não tinha reserva alguma, mas fiz o que pude até o final e faltou até pouco pra cumprir o meu objetivo. Cruzei a linha de chegada com o tempo líquido de 1h40min18s, muito mal por conta do desgaste físico. Demorei um bom tempo para me recuperar.

Fiquei um pouco decepcionado por faltar pouco, mas tenho que considerar alguns pontos: treino longo durante a semana da prova, a gripe que incomodou um pouco, e talvez a não utilização do gel de carboidrato. Fica a lição registrada. Ano que vem tentamos de novo. 

Me hidratei, retirei a medalha, me troquei rapidamente, pois estava morrendo de frio apesar do sol já ter saído e o tempo estar agradável. Novamente precisei dos serviços de massagens da equipe da Elementos Massoterapia, que também marcavam presença no evento. Dessa vez tive que fazer uma sessão completa, pois doía tudo, principalmente as costas. Mãos mágicas, deu uma boa relaxada.

Depois eu e a Aninha assistimos a premiação e aproveitamos para visitar a Festa dos Colonos ao lado, com exposições de produtos e animais, área gastronômica e até um parque de diversões. Apesar de quebrados aproveitamos bem, principalmente a parte gastronômica.

Percurso: Meia maratona são 2 voltas.

 Fausto (Confraria das Corridas), Aninha, eu, Ademar e esposa 
(Foto: Fausto Egídeo)
Eu e a amiga Kátia Fonseca que veio de São Paulo para a Meia de Brusque
 Vista por cima
(Foto: Emanuel Galafassi - Focoradical)
 Opa, quase passei do ponto
(Foto: Mark Maderovysk - Focoradical)
Avenida Beira-Rio completando a 1ª volta
(Foto: Claudemir Marcolla)
Fechando a 1ª volta, ainda inteiro
(Foto: Felipe da Cruz - Focoradical)


Chegando ao posto de hidratação na 2ª volta
(Foto: Egomar Prochnow)
Finalzinho da prova. Menos de 2 Km
(Foto: Mário Sérgio Jesus - Focoradical)
Reta final
(Foto: Felipe da Cruz - Focoradical)
Chegada: Tempo líquido: 1h40min18s
(Foto: Fausto Egídio)
 Missão cumprida junto com a Aninha
(Foto: Corre Brasil)
Com o amigo Jander Carvalho
Rose e Fran da Elementos Massoterapia consertando os estragos 
Eu e a Aninha com a linda medalha
Na Festa dos Colonos - Porção alemã. Muita fome após a prova !!!

Local: Arena Brusque / SC
Data: 24/07/2016 
Horário: 08:00 Hs 
Distância: 21,097 Km (21,21 Km) 

Inscrição: R$ 64,00
Kit: Sacola, camiseta, pote de atum, sacola, chip descartável e número de peito.  

Tempo: 1h40min18s
Pace: 4:44 min/Km

Colocação: 013 de 023 (categoria 45-49 anos)
Colocação: 095 de 211 (masculino)
Colocação: 106 de 268 (geral)

quinta-feira, 21 de julho de 2016

16/07/2016 - Maratona de Revezamento Beto Carrero

Foto: Christian Schmidt Mendes (Foco Radical)
Maratona de Revezamento Beto Carrero 2016
Pensei que esse ano não conseguiria participar novamente da Maratona de Revezamento Beto Carrero. Em 2013 e 2014, participei com o amigo Enio Augusto do Podcast "Por falar em Corrida". Em 2015 não pudemos. E esse ano por ele estar em recuperação de uma lesão também não conseguiríamos formar a dupla. Estava praticamente desistindo quando surgiu a ideia de convidar a Ana Paula para formar uma dupla mista. Faltava somente convencê-la a entrar nessa loucura...rs. !!!

A Maratona Beto Carrero é uma prova diferente. É uma corrida de revezamento em dupla, quarteto ou octeto, noturna, e o percurso segue pelo parque (já fechado para o público em geral) e o kartódromo. Esse circuito todo em 8 voltas. A 1ª volta é mais longa, cerca de 1,2 Km a mais, por conta da volta de apresentação. As sete voltas seguintes tem quase 5 Km cada uma.

A retirada do kit foi no dia no próprio kartódromo onde acontece a prova (até às 15 horas). A largada estava prevista para às 18:45. No kit individual recebemos uma sacola estilo mochilinha, camiseta de manga longa, boné, toalha, e alguns outros brindezinhos. No kit da equipe vinha os números de peito, ingressos para o parque, pulseira de acesso ao parque e a área da prova, o bastão com chip e uma lanterna de cabeça.

Como todo ano, após às 15 horas, os atletas com as suas respectivas pulseiras tem acesso ao parque e podem aproveitar um pouco até o horário da prova. É lógico que fomos dar um passeio, mas nada que exigisse muito esforço e nem cansasse muito. Às 17:30 todos já se dirigiam e se concentravam no kartódromo para os preparativos finais.

Nas instalações do kartódromo o público em geral tem acesso. Porém, na pista, onde ficam as tendas de troca, somente os atletas identificados com as pulseiras. Essa área é liberado o acesso somente alguns minutos antes da largada.

Não há opção de maratona individual, e cada equipe traça a sua estratégia durante a prova, optando por correr intercalando volta a volta, correr duas voltas seguidas, largar com atletas mais rápidos primeiro ou não, fazer a primeira parte mais forte ou se poupar mais para o final. Isso promove uma alternância muito grande na posição das equipes durante a prova, tornando-a bastante emocionante.

Apesar dos kits de equipe virem com uma lanterna de cabeça, quase ninguém a utilizou. Era um pouco grande se tornando meio incômoda. Bem que tentei. Além disso, tanto o kartódromo como as áreas do parque estavam bem iluminadas. 

Na nossa estratégia eu iniciaria a prova com a 1ª volta mais longa e depois cada um faria uma volta alternando até o final. Dessa forma conseguimos correr mais forte e temos um tempinho pra descansar e se recuperar. Nossa meta era concluir a maratona em menos de 3h30min.  

A largada para todas as equipes foi às 18:45. Os primeiros atletas percorreram primeiro toda a sinuosa pista do kartódromo na volta de apresentação. Ninguém aliviou muito não, e todos saíram "cantando pneu". Após completarmos a volta e passarmos novamente pelo portal da largada, saímos do kartódrimo e acessamos a Rod. Beto Carrero World, pela parte de fora mesmo. Seguimos no sentido da entrada do parque, na altura do 2º Km da 1ª volta ou do 1º Km das demais voltas.

Dentro do parque começa o zigue-e-zague, vira pra lá, vira pra cá. Também começam a aparecer os vários personagens e até os staffs para animar o pessoal. A 1ª vez que a gente passa é tudo lindo e maravilhoso. Alguns brincam com a gente, correm atrás, mostram suas armas, assustam. Todos ainda no maior pique e na maior energia. Acho que vi quase todos os personagens. É tudo rapidinho. Não dá pra parar e ficar tirando fotos !!! Bom, alguns até param e curtem o momento !!!



O percurso estava bem sinalizado e com vários staffs orientando nos pontos estratégicos. No finalzinho do trecho do parque tinha postos de hidratação com água e um pouco depois com isotônico. Particularmente, eu não peguei nenhum copo de água ou gatorade nas minhas voltas. Só me hidratava quando chegava no posto de troca do revezamento. Aí tinha mais tempo e era mais tranquilo.

Depois de percorrer quase todo o parque (aproximadamente 3 Km) saíamos por um túnel próximo a arena do show dos Velozes e Furiosos. Esse túnel dava acesso novamente ao kartódromo e marcava o 4º Km (fora a 1ª volta) na rampinha de acesso a pista. A partir daí o percurso fica somente em pista e tem quase 1 Km até o posto de troca. Nesse ponto já é possível avistar ao longe os atletas da equipe e começar a se preparar para a troca. 

Senti que tinha feito uma boa 1ª volta e por mais que a gente pense em se poupar chegamos no limite. Na reta final da volta é um misto de sensação de alívio e preocupação com a passagem do bastão. Mas deu tudo certo. A Aninha já esperava ansiosa, e partiu ligeira para abrir a sua 1ª volta. 

Hora de me recompor, descansar, hidratar e se alimentar um pouco. Levamos uma mochila com bebidas, guloseimas, remédios e agasalhos. Teria pouco mais de 25 minutos até chegar minha vez novamente. A tabelinha a seguir mostra o resumo dos nossos tempos: 


A Ana fechou a sua 1º volta aparentemente muito bem. Duro que a gente nem tinha tempo de trocar algumas palavras. Tudo muito rápido. Era receber o bastão e sair correndo. Fiquei bobo em presenciar como várias equipes conseguiam se perder na passagem dos bastões. Alguns atletas chegavam e não encontravam o próximo membro da sua equipe. Tinham que pedir para o locutor anunciar. Total falta de sincronia.

Lá fui eu para a minha 2ª volta, agora mais curta. Pela média dos nossos registros pelo Garmin, a volta teve em torno de 4,89 Km. O frio já começava a castigar, principalmente dentro do parque. O rendimento já não era mais o mesmo da volta inicial, mas ainda era possível uma certa regularidade. A essa altura os atletas já se misturavam em voltas diferentes para cada equipe. Os personagens continuavam firmes animando a passagem dos atletas. Isso rendia também muitas fotos. Concluída a volta com 22min14s passei a vez para a Aninha novamente.

Durante a prova toda a gente se viu poucas vezes e só ficávamos na expectativa da chegada um do outro. Não dá pra perceber muito como cada um está. Eu me sentia razoavelmente inteiro após as minhas 2 voltas. E tinha falado pra Ana ir tranquila sem forçar muito nesse início, pois as voltas finais ficariam mais pesadas.

Recebi o bastão novamente para abrir a minha 3ª volta. Estava bem, as pernas ainda não pesavam tanto. Só era limitado pela respiração mesmo. Enquanto a Ana me aguardava, como estava sentindo dores tomou um Advil e passou um spray no joelho que estava junto a mochila. Só depois do final da prova que ela veio me perguntar sobre o tal "spray" e percebemos que o que ela tinha passado no joelho foi o "desodorante"...rs. Pelo menos acho que o psicológico funcionou !!!

Completei a 3ª volta com tempo parecido da volta anterior com 22min19s. E lá foi a Aninha devidamente medicada com o "desodorante" em spray. Quanto mais ia avançando a noite, mais ficava frio e tive que me render e usar o agasalho enquanto aguardava. A essa altura você não sabe se fica contente em ver a parceira chegar ou se fica preocupado de estar chegando a sua vez. Enquanto isso também fiz umas continhas de cabeça e 3h25min já se tornava um tempo factível !!!

A Aninha chegou com a aparência um pouco mais cansada, normal ao fim da 3ª volta. Era a minha última participação, e logo de saída já senti umas fisgadinhas leves querendo dar cãibras na panturrilha. Aliviei um pouco na primeira parte da volta. Acho que o frio intenso e as paradas provocaram esse desconforto inicial. Alívio mesmo foi quando saí do parque. Não aguentava mais ver alguns personagens...rs. Tinha uma noiva com a cara toda ensanguentada que ficou inerte e me olhando nas minhas 4 passagens, além de um cara com uma moto-serra fazendo o maior barulho...!!! Aff.. Finalmente a última parte no kartódromo e reta final para a última passagem de bastão.   

Olhei o cronômetro e registrava pouco mais de 2h54min. Era só a Aninha fechar a volta com menos de 30 minutos e faríamos o sub 3h25min. Pelas voltas dela não seria muito difícil, mas em se tratando de última volta... E eis que ela surge no início do kartódromo com 3h17min. Nesse ponto senti que conseguiríamos, pois faltava pouco menos de 1 Km para fecharmos. Deixei a mochila por lá mesmo e me juntei a ela nas curvas e retas finais.

Imagino como a Aninha deve ter se esforçado pra concluir essa que foi a prova mais longa que ela fez até então. Nem quero pensar no que passou pela cabeça dela. Eu mesmo já estava todo duro e mal conseguia caminhar. Mas a chegada é aquele momento que faz a gente esquecer todo o sofrimento da prova, e ainda mais com um tempo que nem imaginávamos conseguir. Sensação indescritível ao lado dessa minha super parceira que se superou nessa forte maratona. Muito obrigado por aceitar esse desafio e parabéns, Aninha !!!

Muitas fotos na chegada, é claro. Em seguida fomos para a arena de hidratação, comer algumas frutas, tomar bastante líquido, descansar um pouco e depois retirar a linda medalha. Mal dava pra ficar do lado de fora de tanto frio. Entramos rapidamente no salão e aproveitamos para fazer uma super massagem com os amigos da Elementos Massoterapia. Eu estava com a panturrilha totalmente dura, mal conseguia caminhar. E incrivelmente, após uma sessão de massagem localizada saí de lá praticamente sem dores. Excelente. Valeu demais, pessoal !!!

Como sabia que a corrida acabaria tarde e estaria muito cansado, dessa vez preferi ficar por lá, em Penha mesmo. Achei a Pousada Itapocorói, uns 3 Km distante do parque e à beira da praia. Vou deixar registrado aqui, pois gostei muito das acomodações e principalmente do café da manhã. O valor pelo Booking foi R$ 171. Recomendo e quando precisar já sei onde posso retornar.

Queria também aproveitar o ingresso do parque para o dia seguinte, se o tempo estivesse bom. Apesar de friozinho fez um dia bonito e deu para aproveitar o ingresso que veio no kit. Aliás, muitos atletas também fizeram o mesmo !!! Final de semana bem proveitoso. 

Chegada para a retirada do kit

Equipe 10 da Elementos Massoterapia pra recompor a gente depois da prova
Correndo pela pista do kartódromo com a montanha russa do parque ao fundo
Foto:Mark Maderovysk (Foco Radical)
O que é que eu estou fazendo aqui ???
Foto: (Foco Radical)
Opa. Leão a frente !!!
Foto: (Foco Radical)
Brincando no parque
Foto: Mark Maderovysk (Foco Radical)
Medalhas devidamente conquistadas 

Lindas medalhas
Hora de curtir o parque

Local: Kartódromo do Parque Beto Carrero
Data: 16/07/2016 
Horário: 18:45 Hs 
Distância: 42,195 Km (40,460 Km) 

Inscrição: R$ 230,00 por pessoa
Kit: Sacola, camiseta manga longa, boné, toalha, ingresso do parque, lenço umedecido, squeeze, lanterna de cabeça, número de peito e chip em bastão.  

Tempo: 3h22min47s
Pace: 5:01 min/Km

Colocação: 010 de 023 (dupla mista)
Colocação: 100 de 244 (geral)

quinta-feira, 14 de julho de 2016

10/07/2016 - Corrida 21K Trilha das Bruxas - São Pedro de Alcântara / SC

(Foto: Focoradical)
Corrida 21K Trilha das Bruxas - São Pedro de Alcântara / SC 

Resultados

Fotos da Corrida FB (by Eduardo Hanada)


Vídeo da Corrida da Trilha das Bruxas

Abrindo o mês de Julho com o calendário bem cheio e recheado de corridas, iniciamos com uma boa prova de trilhas. Não fui na distância principal de 21 Km, pois além de não estar muito preparado, tenho medo de me lesionar, ainda mais com uma maratona pela frente, no final do mês. Todo cuidado é pouco.

Essa foi a 1ª edição da Trilha das Bruxas, organizada pela ACORSJ (Associação dos Corredores de Rua de São José), realizada no município de São Pedro de Alcântara, cerca de 35 Km de Florianópolis. Para que os corredores de todos os níveis pudessem participar, além da distância individual de 21 Km, tinha alternativas de revezamento em duplas e quartetos, e uma distância mais curta de 7 Km, que foi a que preferi fazer.

A retirada do kit foi feita no dia da prova mesmo até meia hora antes da largada, que estava marcada para as 9 horas, facilitando muito a vida dos atletas que não precisaram se deslocar anteriormente. Pelo que observei a entrega do kit foi tranquila.

Como foi alertado em redes sociais e comunicados pela organização, no dia da prova teria festa e desfiles na cidade. A orientação foi para que os atletas chegassem mais cedo e evitassem possíveis inconvenientes quanto a bloqueios nas ruas e falta de lugar para estacionar. Para garantir cheguei com uma boa folga, perto das 7:15, e olha que já tinha um bom movimento. Toda a estrutura e concentração do evento estava montada na praça central da cidade

Para os atletas que iriam fazer a modalidade de revezamento, foi disponibilizado um ônibus pela organização para levá-los até os postos de troca. Isso facilita muito, pois é uma preocupação a menos para os atletas. Normalmente nas corridas esse transporte fica por conta dos atletas.

As largadas foram realizadas em dois momentos: às 9 horas partiram os atletas da distância individual de 21 Km, juntamente com os primeiros atletas das equipes de revezamento. Cerca de 10 minutos depois largaram os quase 140 atletas dos 7 Km. Como larguei depois deu para filmar o início de prova dos 21 Km.

A área da largada era bem estreita e como eu demorei para me alinhar saí um pouquinho mais atrás. Não muito, mas teve uma importância significativa na minha classificação final.

Não conhecia o percurso, mas pelos comentários sobre a distância de 7 Km imaginava que seria uma corrida plana, percorrendo na sua maioria trechos de chão batido, sem grandes problemas. Mesmo assim, larguei contido e tive que ir me recuperando aos poucos.

O 1º Km até que estava indo em ritmo bom ainda plano e piso de blocos, mas ainda no finalzinho dele comecei a enfrentar as primeiras subidas saindo das ruas. Percebi que a brincadeira não seria tão fácil assim, mesmo para o percurso de 7 Km.

Em seguida iniciou o trecho mais complicado de trilhas e subidas que quebrou totalmente o meu pace. Tentei fazer as subidas em um trotezinho, mas acabei me rendendo a caminhada forte. Era muito esforço para pouco rendimento. Lógico que sofri algumas ultrapassagens. Para a minha felicidade também não pude evitar de meter literalmente o pé na lama ficando com os tênis imundo.

Passando esse 2º Km ficou um pouco mais tranquilo com estradinhas de chão batido. Nesses trechos, com vistas bem mais abertas, já era possível admirar a beleza dos cenários do campo e também correr um pouco mais regular.

Seguimos até cerca de 3,8 Km, quando fizemos o retorno e voltamos. Peguei somente um copo de água no posto de hidratação, mas tiveram pelo menos 2 postos. Bem tranquilo. O pessoal dos 21 Km deve ter seguido bem mais a frente. No blog do amigo Jeffrey Messa tem mais detalhes em relação ao percurso dos 21 Km.


  Vídeo da Luciane mostrando um pouco do percurso da Trilha das Bruxas


Na volta um fato curioso. Passei pela D. Eni que informou que havia um boi solto e que chegou a correr atrás dela. Um pouco mais a frente me deparei com ele também. Na verdade já eram dois. Parados a margem da trilha estreita. Desacelerei um pouco. E agora ? O que fazer ? Para continuar pela estradinha era necessário passar por eles a uma distância de menos de 2 metros. Fui meio receoso, mas eles pareceram somente estar assistindo a passagem dos atletas !!! Ainda bem. Passei tranquilo e acelerei.

Nessa volta eu estava perto de dois outros atletas e tinha a desconfiança de que eles eram da minha categoria. Estava me esforçando para tentar acompanhá-los. Mas em alguns pontos das trilhas eu caminhei novamente, eles me passaram e os perdi de vista.

Faltando pouco menos de 1 Km voltamos novamente para as ruas com asfalto e depois blocos, mais planos. Sabendo que estava próximo do final, dei uma acelerada para tentar tirar o prejuízo. Segui forte nesse trecho até o finalzinho, chegando bem próximo dos atletas que eu havia perdido contato nas trilhas.

Às vezes por comodidade acabamos aliviando nessas condições, aparentemente já definidas, mas dessa vez insisti e acabou valendo a pena seguir firme até o final. Passei pelo portal cerca de 3 segundos atrás do atleta que eu desconfiava ser da minha categoria (e estava certo). Durante essa parte final, lembrei que eu não tinha largado tão à frente como de costume, demorei alguns segundos antes de passar pelo portal e consequentemente ter a leitura do chip. Meu tempo líquido ficou em 38min05s.

Percurso dos 7 Km


Descansei um pouco, retirei a medalha, me hidratei e fui tentar encontrar a Aninha que já deveria estar chegando. Aproveitei para fazer mais algumas filmagens, e já faltando pouco menos de 500 metros ela se aproximou deixando um grupinho para trás com um sprint final de dar inveja, registrado no vídeo.

Após a chegada da Aninha aproveitamos ainda que estava tranquilo para fazer uma boa massagem oferecida pela Elementos Massoterapia que davam aquela força aos atletas com massagens para aliviar as dores nas panturrilhas, muito exigidas nas subidas das trilhas.

A premiação dos 7 Km foi bem rápida e foi realizada enquanto os atletas dos 21 Km e do revezamento chegavam. Para nós, dupla surpresa, eu na 3ª colocação na categoria 40-49 anos e a Aninha na 2ª colocação na categoria 30-39 anos. Ficamos extremamente contentes, pois os dois não tinham muitas expectativas por causa da quantidade e do nível dos atletas. Valeu o fim de semana.

Fazendo a análise depois percebi a importância de se empenhar em um final de prova. Como havia pensado, o atleta que vinha a minha frente era da mesma categoria e só fiquei na frente dele na classificação porque nos últimos metros acelerei o máximo que pude, mesmo sabendo que não chegaria à frente dele. O detalhe foi que no tempo líquido a diferença de 4 segundos me deixou na 3ª colocação, mesmo ele tendo chegado 3 segundos a minha frente. Além disso, fiquei a exatos 11 segundos do 2º colocado da categoria. Moral da história: precisamos acreditar sempre e fazer o nosso melhor !!!

Não deu tempo para ficarmos até a premiação dos 21 Km e nem para aproveitar a festa que estava tendo na cidade. Eu queria voltar para assistir a passagem da tocha olímpica em São José, que passaria em frente de casa.

Igreja de São Pedro de Alcântara
Os bois preparados para puxar o desfile
Com o amigo Jeffrey do blog JMESSA - Corridas (Foto: Jeffrey Messa) 
Passeio no campo (Foto: Focoradical)
Local próximo de onde encontramos os bois (Foto: Fabrício Jachowicz - Focoradical)
Hora da hidratação (Foto: Lúcio Lange Rita - Focoradical)
Pra não perder o equilíbrio na pontezinha de concreto (Foto: Adriane Carmignan - Focoradical)
3º colocado na categoria 40-49 anos
Formação do pódio da categoria (40-49 anos) 7 km, com Queixo e José Roberto
Comemoração em dobro com a Aninha conquistando o 2º lugar na categoria. Arrasou !!!
Troféu e medalha da Corrida Trilha das Bruxas

Local: Praça Central de São Pedro de Alcântara / SC
Data: 10/07/2016 
Horário: 9:00 Hs (9:12 Hs)
Distância: 7Km (7,69 Km) 

Inscrição: R$ 60 
Kit: Camiseta, caixinha de capuccino, número de peito e chip descatável. 
Tempo: 38min05s
Pace: 4:57 min/Km

Colocação: 03 de 013 (categoria 40-49 anos)
Colocação: 10 de 051 (masculino)
Colocação: 11 de 138 (geral)

sexta-feira, 1 de julho de 2016

01/07/2016 - Calendário de Corridas - 2º Semestre 2016


CORRIDAS PROGRAMADAS 2016
10/07/2016 - 21K Trilha das Bruxas - São Pedra de Alcântara/SC - 7Km (inscrito)
24/07/2016 - Meia maratona de Brusque - Brusque / SC - 21 Km (inscrito)
31/07/2016 - São Paulo City Marathon - Golden Run / SP - 42 Km (inscrito)
06/08/2016 - Night Run Tijucas / SC - 8 Km 
21/08/2016 - 9ª Corrida Volta a Lagoa - FLN/SC - 10,5 Km
27/08/2016 - Garopaba Amazing Runs - Garopaba / SC - 5 Km (inscrito)
11/09/2016 - Corrida do SESI - FLN / SC - 10 Km
13/11/2016 - Asics Golden Run Brasilia / DF - 21 Km ???
03/12/2016 - Corrida de rua cidade de Angelina - 10 Km
31/12/2016 - 92ª Corrida de São Silvestre / SP - 15 Km


CORRIDAS REALIZADAS 2016
25/06/2016 - Mountain Do Costão do Santinho - FLN/SC - 8 Km(7,89Km) - 52min41s
19/06/2016 - Corrida Adria Santos - Joinville / SC - 10 Km(9,94Km) - 45min
12/06/2016 - 21 K Sudamericano - Meia de Floripa - 21Km(21,34Km) - 1h38min22s
22/05/2016 - Corrida Rustica 3 Corações - São José / SC - 5Km(5,53 Km) - 23min48s
15/05/2016 - K21 Costa da Serra - Rancho Queimado / SC - 10Km(10,22 Km) - 1h01min22s
14/05/2016 - Corrida Rústica Cidade de Biguaçu / SC - 5 Km (5,33 Km) - 22min14s
08/05/2016 - Wings for Life 2016 - Brasília/DF - 23,57 Km - 2h02min14s
30/04/2016 - Itapema Nigh Run - Itapema/SC - 8Km (8,03 Km) - 36min54s
24/04/2016 - Meia maratona de Balneário Camboriú / SC - 21Km(21,16 km) - 1h49min24s
10/04/2016 - Run, Floripa - 343 anos - FLN / SC - 5 Km(5,1 km) - 21min49s
27/03/2016 - Corrida de Páscoa do Pereba - FLN / SC - 6 Km(5,85 km) - 35min43s
19/03/2016 - 5ª Jaraguá Night Race - 10Km(9,69Km) - 45min26s
13/03/2016 - Meia Maratona Caixa de São José / SC - 21Km(21,2Km) - 1h40min39s
28/02/2016 - Corrida Pedra Branca - Palhoça/SC - 3 Km(2,9Km) - 11min38s
21/02/2016 - Corrida de Revezamento Caixa Ponta do papagaio - 5Km(5,23Km) - 23min08s
14/02/2016 - Corrida de Verão do Pereba - 6Km (5,88Km) - 27min15s
30/01/2016 - Night Run Costão do Santinho 2016 - 5 Km(5,11 Km) - 25min30s
17/01/2016 - 5ª Corrida Cross Country - Garopaba sem stress - 5,6Km(5,8Km) - 28min15s