sexta-feira, 25 de novembro de 2016

20/11/2016 - 12ª Meia maratona Internacional Subway de Florianópolis / SC

Foto: Alexandre Carvalho - Foco Radical
12ª Meia maratona Internacional Subway de Florianópolis / SC


Fechando a temporada de meias maratonas de 2016 o balanço não poderia ter sido melhor, principalmente por esses últimos meses. Foram poucas esse ano: Balneário Camboriú, Floripa, Brusque, Pomerode e a Internacional de Florianópolis, mas com 3 quebras de recordes pessoais o que me deixa muito feliz e animado, considerando o avanço da idade.

Apostava nessa meia maratona por ser em "reta", em asfalto, e plana, principalmente após o 6º Km. A variável ficava por conta das condições climáticas. Entretanto confesso que não estava mais com essa expectativa toda depois de ter conseguido o meu melhor tempo na meia maratona de Pomerode, há duas semanas atrás. 

O evento começou já na entrega do kit que foi realizada na Praça Sesquicentenário na Av. Beira mar norte, mesmo local da largada/chegada da prova. Foi realizada na sexta e no sábado que antecederam a corrida. O diferencial ficou por conta da Expo, com exposição e venda de produtos interessantes voltados aos atletas. Só fiquei na vontade dessa vez porque não achei nada em conta e que realmente necessitasse tanto. 

Na sexta-feira à tarde retirei o meu kit e da Aninha, que iria fazer a sua 2ª meia maratona. Apesar de já estar movimentando foi bem tranquilo com separação das filas de inscrições por grupo e individuais. A adrenalina para a prova começava a voltar a medida que ia encontrando e conversando com os amigos que estavam retirando o kit também. Para os atletas de última hora foi possível ainda fazer a inscrição na hora.

Segundo a organizadora Corre Brasil havia cerca de 4 mil atletas inscritos, distribuídos pelas distâncias de 5Km, 10Km e 21 Km. Pouco mais de 1500 atletas só para a meia maratona. Um crescimento bem considerável em relação ao ano anterior, onde tivemos 744 concluintes nos 21 Km.

Sabendo do grande número de atletas chegamos a arena do evento às 5:40. A largada dos 21 Km estava prevista para às 7 horas e das distâncias de 5 Km e 10 Km às 7:30 (essa acabou sendo atrasada para às 7:50). Uma boa estrutura nos aguardava com tendas de massagens, pescaria Gomes da Costa, e toda a Expo que funcionou também no domingo. As assessorias esportivas da grande Florianópolis também estavam quase todas presentes.

Como estamos em casa essa é aquela prova que você encontra muitos amigos desde a chegada. Muitos inclusive vindo de fora. Após algumas fotos e bate-papos iniciais fiz o meu aquecimento de uns 10 min e fui me alinhar para a largada. Me posicionei no bloco intermediário junto com a Aninha e a Luciana Mitiko. Não queria correr o risco de exagerar na saída com a empolgação dos atletas da frente.

O dia colaborou bastante. Estava fresquinho, sem aquele sol intenso e praticamente sem vento no início. Cenário excelente para um bom desempenho.

Larguei e procurei os espaços mais livres para impor o meu ritmo. O 1º Km, um pouco mais alto, com pace de 4:45 min/Km, foi dentro do esperado e serviu para dar uma aquecida. Saímos no sentido do túnel da beira mar sul e mesmo com umas subidinhas pelo viaduto junto ao Lago das Bandeiras e próximo ao túnel consegui encaixar um bom pace. O retorno foi depois de percorrido 4,3 Km para o lado sul.

A essa altura tinha se juntado à minha jornada o atleta, Thiago Rabelo. Ele seguiu comigo até os quilômetros finais. Achei legal que ao final me contou que o objetivo dele era conseguir me acompanhar. na meia maratona. Acompanhou muito bem e sustentou melhor o ritmo até o final. Isso foi bom, pois fez com que me mantivesse mais firme durante a prova.

Na volta para a beira mar norte fiz os melhores paces. O estranho é que passamos por duas subidinhas de viadutos e o ritmo não caiu, pelo contrário. Estava bem e ganhando confiança a cada quilômetro, principalmente sabendo que a partir de então seria uma "reta" só no sentido da UFSC e retornar.

Passamos pelo ponto da largada, atingindo pouco mais de 8 Km. As palavras de apoio dos amigos que assistiam ou que aguardavam a largada dos 5 Km e 10 Km deu aquele ânimo. Muito legal essa passagem, tanto pela troca de energia como para os registros fotográficos.

Seguimos em frente. O termômetro da beira mar registrava 19ºC, colaborando. Eu estava concentrado em não perder o ritmo. Pegava copos de água alternadamente nos postos de hidratação. Pensei em tomar o gel de carboidrato no Km 10, mas seguindo o exemplo de Pomerode, abortei a ideia pra não perder tempo . Acho que vou abolir a utilização de gel nas meias maratonas também.

Passando pelo 12º Km já era possível ver os atletas de elite retornando pela beira mar norte. Enquanto não chegava no ponto de retorno fiquei contando quantos estavam à minha frente. Foram aproximadamente uns 300.

Logo após fazer o retorno, no ponto extremo do percurso próximo a UFSC, passamos por um ponto de leitura de chip, e em seguida se fechava o 15º Km. Olhei rapidamente para o Garmin e percebi que estava na minha melhor passagem dessa distância com 1h08min36s. Faltavam só mais 6 Km e eu sabia que a partir de então as coisas complicariam.

Até o Km 17 consegui manter o ritmo, mas a partir daí senti um pouco a ação do ventinho contra. Não era muito, mas o suficiente para tirar alguns segundos por Km. Esse foi o momento crítico e pensei fortemente em caminhar. Já imaginava deixar escapar um bom tempo, e logo no finalzinho.

A cabeça então assume o comando e faz o organismo reagir. Batalha muito dura. Nessa hora entra em cena a sua determinação. Confesso que quando larguei não estava muito otimista, mas a medida que fui percebendo o avanço não quis perder a oportunidade. Retomei o pace no último quilômetro com 4:30 Km/h. E avistando o relógio do portal virando para 1h38min acelerei tudo que pude pra tentar melhorar a minha melhor marca. Detalhe, sabia que tinha passado pelo portal da largada após uns 25 segundos.

Cruzei a linha de chegada bem desnorteado e acho que até cambaleando de tanto esforço no final. Demorei alguns minutinhos até conseguir voltar ao normal. E foram de cara 4 copos de água para a hidratação. Fui então retirar a medalha, e fiquei surpreso com a quantidade de atletas. Nessa hora o que você menos quer é ficar esperando em fila. Ocorreu que, com a largada tardia do pessoal dos 10 Km eles acabaram chegando juntos com o pessoal dos 21 Km, o que causou o congestionamento da área de dispersão. Legal que recebi a medalha das mãos da Márcia Costa, da própria organização da Corre Brasil.

Depois que saí da arena fui ver a chegada da Aninha. Não consegui ir muito longe para buscá-la, pois estava todo dolorido e mal conseguia caminhar. Enquanto aguardava fiquei vendo a chegada dos amigos e fazendo alguns registros. Logo ela passou e conseguiu concluir a sua segunda meia maratona com cerca de 5 minutos a menos que a primeira. Muito bom, sempre melhorando.

Enquanto nos recuperávamos encontramos vários amigos que permaneciam por ali aguardando também a cerimônia de premiação naquele clima de confraternização pós-prova. Entre eles o seu Barboza e o seu Teixeira, que vieram pedir para tirar uma foto e já estavam animados para participarem também da Wings for Life 2017, em Brasília.

Um fato curioso e de destaque foi que o prêmio de maior assessoria, que levou o maior número de atletas foi para a delegação do Uruguai. Vieram em 2 ônibus cheios e voltaram com várias conquistas. Nota dez pela animação do grupo. Faz jus ser uma meia maratona internacional.

Com isso, fechei o ano de provas mais longas bastante satisfeito com o resultado alcançado, dando esperanças inclusive a ideia de conseguir um sonhado sub 1h35min. Mas isso vai ficar pra tentativas a partir do ano que vem.
Percurso 2016 (21,2 Km)

 Kit da Meia maratona Internacional de Florianópolis 2016

  Iniciando os trabalhos com amigos Loucos por Corridas
Seguindo no pelotão
(Foto: Flávia Lapolli) 

Passando pela Beira Mar Norte
(Foto: Foco Radical) 
Concentrado
(Foto: Alexandre Santiago - Foco Radical)
Fazendo muita força na volta
(Foto: Flávia Lapolli) 
Chegada. Acho que vai dar RP !!! Será ?
(Foto: Christian Schmidt Mendes - Foco Radical)
Seu Teixeira e seu Barboza. Vamos para Wings for Life 2017

 Agora é só comemorar
Eu e a Aninha felizes com os RP´s. Eu ganhei alguns segundos, ela alguns minutos. 
Medalha

Local: Praça Sesquicentenário - Beira mar norte - FLN/SC
Data: 20/11/2016 
Horário: 7:00 Hs 
Distância: 21,097 Km (21,2 Km) 

Inscrição: R$ 64,00 
Kit: Sacolinha, camiseta, pacote de snacks da Magrinha, tablete de castanha/chocolate, número do peito e chip descartável.  

Tempo: 1h37min44s
Pace: 4:37 min/Km

Colocação: 018 de 0105 (categoria 45-49 anos)
Colocação: 215 de 1051 (masculino)
Colocação: 230 de 1550 (geral)

sexta-feira, 11 de novembro de 2016

06/11/2016 - 9ª Meia maratona de Pomerode / SC

(Foto: Foco Radical)
 9ª Meia maratona de Pomerode / SC


Essa foi sem dúvida a minha melhor "meia maratona" !!! 

Voltando à cidade de Pomerode pela 3ª vez, e completando a minha 40ª meia maratona tive a grande satisfação e alegria de obter o meu melhor desempenho em meias maratonas, ou seja, o meu recorde pessoal. Foi um final de semana incrível que superou todas as minhas expectativas. Tudo simplesmente perfeito.

A ideia inicial era fazer a Meia maratona de Pomerode como preparação para a Meia Maratona Internacional de Florianópolis a ser realizada duas semanas depois. Não estava no auge da minha preparação por isso não esperava muita coisa.

Como aprendi anteriormente, não me arrisquei a viajar na madrugada da prova. É muito cansativo e desgastante. A viagem de carro de São José até Pomerode leva cerca de 2h10min, com 159 Km de distância. Fomos na véspera para dar tempo de retirar o kit e aproveitar um pouco o passeio.

A entrega do kit foi feita no Pavilhão Municipal de Eventos de Pomerode, somente no sábado. Era o mesmo local da chegada da prova. Logo ao acessar o pavilhão alguns amigos comentaram uma boa surpresa, uma das minhas fotos da última Corrida pela Paz tinha sido publicada na Revista da Corre Brasil, edição de Novembro. Interessante que havia postado ela a pouco mais de uma semana. Estava fresquinha.



A retirada do kit foi bem tranquila com camiseta branca para os homens e roxinha para as mulheres. No pavilhão já estavam disponíveis várias atrativos que se repetiram no dia do evento, como painéis para fotos, chopp da região, apresentação de bandinhas, stands de diversos produtos voltados aos atletas, e até prova de "topiador", espécie de competição na qual duas pessoas cortam uma tora de madeira com uma espécie de serrote com dois puxadores. Eu e a Ana brincamos um pouco. À noite ainda teve o jantar de massas com apresentações e danças típicas. Acabamos não ficando.



Como nessa época todos os hotéis e pousadas de Pomerode encontram-se lotados, ficamos no Hotel Blue Hill na cidade de Timbó/SC, cerca de 20 minutos de Pomerode. Excelente o serviço oferecido, que adiantou o belo café da manhã para os atletas que lá estavam hospedados, e autorizou um check-out até mais tarde, às 14 horas. Boa pedida para o ano que vem novamente.

No sábado à tarde ainda fomos dar uma volta e conhecer um pouco de Timbó/SC. Pudemos apreciar a linda paisagem no mirante sobre a represa do Rio Benedito, no Complexo Turístico Jardim do Imigrante. Depois uma boa pizza no jantar pré-prova. 


No dia da prova chegamos pouco antes das 6 horas e consegui deixar o carro no estacionamento do pavilhão de eventos, local da chegada. A largada, prevista para às 7 horas, é feita no Pórtico Turístico Sul, junto a praça central de Pomerode, a cerca de 500 metros de distância. Logo seguimos para lá.

Tradicionalmente, além da meia maratona, tem a opção de distância de 6 Km e a maratoninha infantil. A Aninha foi nos 6 Km esse ano, sendo que o percurso foi um pouco diferente com alguns trechos de paralelepípedo. Ano que vem a promessa dela é de fazer os 21 Km.

O dia amanheceu perfeito. Não estava nem frio, nem quente. E também não tinha vento. Só uma levíssima garoa que às vezes caía, mas quase imperceptível. Não dava pra reclamar das condições climáticas.

Eu havia estudado a minha Meia maratona de Pomerode 2015 e lembrei que tinha sido muito boa. Achava quase impossível repetir a dose. Chegando abaixo de 1h40min já estaria de bom tamanho. Por outro lado essa prova reúne as minhas preferências: razoavelmente plana, reta, em asfalto e sem vento.

Um pouco depois das 7 horas foi dada a largada inicialmente para os 21 Km, no Portal Turístico de Pomerode. Às 7:15 foi a vez do pessoal dos 6 Km. Não consegui me posicionar muito a frente, mas foi melhor, pois saí em um ritmo mais controlado. Na meia maratona foram mais de 1000 atletas. O percurso da prova era bem conhecido, uma reta só pela Av. 15 de Novembro até atingir uns 10,6 Km, e retornava. Durante o percurso algumas subidinhas e descidinhas, mas nada muito pesado.

Achei alto o pace do meu 1º Km (4:46 min/Km). Não me preocupei muito pois era somente o início. Curiosidades a parte esse e o último quilômetro, repetindo o pace, foram os meus mais altos. Os quilômetros que se seguiram foram pra acomodar o ritmo de prova. Esse início é bem mais confortável para correr que em provas de 5 Km e 10 Km, que exigem ritmos mais intensos. Me sentia bem e leve.

Ao longo da prova fui encontrando vários amigos, principalmente na ida. Dava pra dar umas palavrinhas rapidinhas, tirar foto, e até correr por bons quilômetros juntos. Mas eu estava muito focado no objetivo de manter o pace abaixo de 4:40 min/Km e fazia o meu ritmo.

Como não estava muito quente peguei água somente em 3 postos de hidratação. Não senti muita sede e também não queria quebrar o ritmo. Abortei até a tentativa de tomar um gel de carboidrato após a metade da prova para não correr nenhum risco e não perder tempo.

Próximo do retorno, como os atletas voltavam pelo lado oposto, aproveitei para contar quantos estavam a minha frente. Eram aproximadamente 225 atletas. Depois queria comparar pra saber como me sairia na segunda parte da prova.

Garmin - Meia maratona de Pomerode 2016

Me mantive em ritmo constante, ganhando alguns segundos importantes a cada quilômetro que avançava. Restava saber até quando aguentaria. Queria levar até onde fosse possível. Até o 14º Km fui razoavelmente tranquilo. A partir daí seria o grande desafio de não baixar o bom ritmo.
Sempre de olho no relógio, sabia que brigava pelo sub-1h40, mas no final é tudo muito duro, ainda mais quando apareciam as subidinhas já não tão fáceis de serem vencidas. O que me ajudou bastante foi correr um pouco junto com o Fernando Braulio, que acabei encontrando nesses quilômetros mais críticos. Não deixou cair o meu ritmo. 

Nos últimos 3 quilômetros já estava por conta do psicológico mesmo. Deixei de olhar o tempo e corri bem concentrado sabendo que um bom tempo poderia vir se continuasse na mesma passada. No Km 19, passei pelo tradicional posto de hidratação com a bandinha e o chopp. Inicialmente tinha em mente dar uma paradinha por lá e dar uma refrescada dessa vez, mas abortei a ideia, e continuei na minha briga com o tempo.

Faltando apenas 1 Km para a chegada por pouco não me entreguei. Mal conseguia puxar ar para respirar. Alguns atletas que eu havia passado anteriormente me alcançaram e nem pude acompanhar mais. Pra piorar, a chegada passa por uma rua em subida de paralelepípedo. Aí você pensa: chegar até aqui e morrer na praia ?

Na reta final de chegada, avistando todo o público e alguns amigos, parece que a energia deu uma renovada e saiu até aquele sprint final que sempre ajuda. Cruzei a linha de chegada exausto igual aos outros atletas que vinham próximos, sem imaginar o resultado. Só tinha visto que o cronômetro do portal marcava algo na casa de 1h38min. Cravei o meu Garmin que registrou o meu tempo extraoficial de 1h37mins59s. Ainda no tapete vermelho da chegada a Aninha que já tinha completado os 6 Km, fazia o registro e me aguardava com um copo de chopp na mão. Fiquei feliz demais em vê-la e comemoramos o resultado !!!

Chegada da Meia Maratona de Pomerode
(Vídeo: Ana Paula Marcon)
Depois foi só relaxar e me hidratar bastante com as frutas, água, isotônicos e o chopp gelado oferecido aos atletas !!! A decisão de não dar a paradinha para o chopp no Km 19 foi acertada. Estava feita a minha melhor meia maratona, com o tempo líquido corrigido de 1h37min56s. Lembrando do registro no meio da prova que tinha contado cerca de 225 atletas à minha frente, cheguei na 170ª colocação geral. Vantagem de fazer uma prova uniforme. Os paces ficaram entre 4:29 e 4:46 min/Km, com bem pouca variação.

A Aninha também fez uma das suas melhores provas ficando muito bem colocada, na 56ª posição das 494 mulheres concluintes na distância de 6 Km. Saímos muito satisfeitos com o resultado e para mim essa já ser tornou a queridinha das meias maratonas !!!

No pavilhão de eventos rolava muito animação e confraternização dos atletas. As atrações continuavam com a bandinha animando a festa e os atletas, mesmo depois de correrem os 21 Km, dançavam animados. Estavam disponíveis também várias barracas de guloseimas como crepes, tapiocas, pastéis e demais salgados, o que ajudou muito a matar a fome pós-prova.

Essa meia maratona vem crescendo a cada ano e só na distância de 21 Km teve um aumento significativo em relação ao ano passado de mais de 25% no número de concluintes. A organização da prova, feita pela Corre Brasil, foi excelente e, aliada as atrações e infraestrutura do pavilhão fizeram um grandioso evento. Ano que vem com certeza estaremos lá de novo.


Percurso 2016 (21,18 Km)

Kit com camiseta branca masculina e roxinha feminina
Complexo Turístico Jardim do Imigrante em Timbó/SC

Portal turístico de Pomerode
 Loucos e loucas por corridas. Galera da grande Florianópolis.
Prontos para a largada com o amigo César e esposa
(Foto: César August)
Encontrando os amigos Silva e Neumann durante a prova
(Foto: Foco Radical)
Acelerando
(Foto: Foco Radical)
Passando pela rótula a poucos metros da chegada
(Foto: Foco Radical) 
Chegada. Será que deu ?
(Foto: Foco Radical)
Agora é só comemorar. Os dois contentes com o resultado
 Rose e a equipe da Elementos Massoterapia presentes no apoio aos atletas
Medalha da prova

Local: Portal turístico de Pomerode e Centro de Eventos - Pomerode/SC
Data: 06/11/2016 
Horário: 7:00 Hs 
Distância: 21,097 Km (21,18 Km) 

Inscrição: R$ 90,00  
Kit: Sacolinha, camiseta branca, pote de atum, barra de chocolate, revista Corre Brasil, chip descartável e número de peito.   

Tempo: 1h37min56s
Pace: 4:37 min/Km

Colocação: 022 de 099 (categoria 45-49 anos)
Colocação: 161 de 721 (masculino)
Colocação: 170 de 1019 (geral)